Caso de sífilis paralisa a produção de filmes pornôs em Los Angeles

Cidade é a capital norte-americana da pornografia, com cerca de mil atores e atrizes na área

Reuters | - Atualizada às

Reuters

Getty Images
Vídeos de filmes pornográficos em exposição em feira

Uma entidade setorial da indústria pornográfica anunciou uma moratória na produção de filmes de sexo explícito depois de pelo menos um ator ter exames com resultados positivos para a sífilis. O fato deve ampliar a pressão pela obrigatoriedade do uso de preservativos nas cenas.

Siga o iG Cultura no Twitter

Os atores devem voltar ao trabalho em dez dias, depois de usarem antibióticos, e médicos recomendaram que todos os atores de filmes eróticos sejam tratados preventivamente, segundo nota divulgada na segunda-feira (dia 20) à noite pela Coalizão do Livre Discurso, entidade que defende os interesses dos produtores de pornografia.

O texto diz que as produções estão paralisadas desde o fim de semana.

"Claramente a prioridade da nossa indústria é a saúde e o bem-estar dos nossos artistas", disse a nota assinada por Diane Duke, diretora-executiva da entidade.

Los Angeles é a capital norte-americana da pornografia, com cerca de mil atores e atrizes na área. Produtores atualmente estão sendo pressionados a exigirem o uso de preservativos em todas as gravações, para evitar a difusão da Aids e de outras doenças sexualmente transmissíveis.

    Leia tudo sobre: cinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG