Morta há 50 anos, Marilyn Monroe ainda rende milhões

Atriz é a 3ª celebridade morta mais lucrativa, atrás apenas de Michael Jackson e Elvis Presley

Augusto Gomes , iG São Paulo |

Marilyn Monroe morreu em 5 de agosto de 1962, mas ainda é um dos nomes mais rentáveis da indústria do entretenimento. De acordo com levantamento feito no ano passado pela revista norte-americana Forbes, a atriz é a terceira celebridade já morta mais lucrativa do planeta: está atrás apenas de Michael Jackson e Elvis Presley. Entre outubro de 2010 e outubro de 2011, produtos ligados a ela renderam lucro de US$ 27 milhões (cerca de R$ 55 milhões).

Marilyn Monroe: números e fatos do furação loiro no infográfico

A maior parte desse dinheiro veio do licenciamento da imagem da atriz para roupas, perfumes e cosméticos. Em janeiro de 2011, a empresa Authentic Brands Management comprou os direitos da imagem de Monroe. O acordo, cujo valor não foi divulgado mas é estimado em até US$ 30 milhões (R$ 61 milhões), é válido por cinco anos e inclui até a possibilidade de a atriz "atuar" em filmes. 

"Acredito que ela tem uma carreira pela frente", afirmou Jamie Salter, presidente da Authentic Brands Management, na época em que a compra foi anunciada. A ideia, segundo ele, é usar novas tecnologias para inserir Marilyn em novos filmes. No final do ano passado, isso já aconteceu: a atriz apareceu em um comercial de perfume , "contracenando" com Charlize Theron.

Siga o iG Cultura no Twitter

No mês passado, também foi inaugurado o primeiro café com o nome da atriz. O local escolhido foi a cidade de Oakville, na Califórnia. A ideia é que esta unidade seja a primeira de uma rede. Em outubro, ainda deve ser aberto um spa Marilyn Monroe na Flórida. E, até o final do ano, uma linha de cosméticos e uma coleção de joias chegarão às lojas.

AP
Atriz foi lembrada no cartaz do Festival de Cannes

Além da série de produtos, Monroe também esteve em evidência neste ano por causa do filme "Sete Dias com Marilyn" , uma cinebiografia que valeu a Michelle Williams uma indicação ao Oscar, e pela série de TV "Smash", que acompanha a montagem de um musical da Broadway sobre a vida da atriz. Também foi homenageada no festival de Cannes , em maio.

No Brasil, a estrela também está nos holofotes. Nesta sexta (3), um de seus melhores filmes, "Quanto Mais Quente Melhor" (1959), voltou aos cinemas em cópia restaurada. A comédia também é um dos 13 títulos presentes na caixa de DVDs "Marilyn Monroe - 50 Anos", recém-lançada no país.

Leia também: Mostra em São Paulo revive as várias facetas de Marilyn Monroe

São 12 filmes e um documentário, intitulado "O Fim dos Dias", que retrata as filmagens do último trabalho da atriz, "Something's Got to Give". Quando morreu, Marilyn estava filmando essa comédia. O longa jamais foi finalizado.

Além do documentário e da obra-prima "Quanto Mais Quente Melhor" (considerada uma das melhores comédias de todos os tempos), os destaques da caixa são "O Pecado Mora ao Lado" (1955) – com a famosa cena do vestido branco esvoaçando sobre a ventilação do metrô – e o drama "Os Desajustados" (1961), seu último filme completo.

Marilyn Monroe: números e fatos do furação loiro no infográfico

    Leia tudo sobre: Marilyn Monroe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG