Produtora LC Barreto não reconhece André de Biase como dono de “Menino do Rio”

“André foi o protagonista, não roteirista do filme”, afirma produtora Helena Barreto. Ator briga pela participação autoral no longa de 1981

Valmir Moratelli | - Atualizada às

A informação de que o filme “Menino do Rio”, de 1981, ganharia uma releitura nos cinemas, agora em forma de musical, tem causado turbulência entre o protagonista do longa original, André de Biase, e os produtores do remake. 

Já circula há algumas semanas na imprensa que os produtores Luiz Calainho e Luiz Carlos Barreto vão refilmar o longa de Antonio Calmon, que projetou André de Biase para o País, levando mais de três milhões de espectadores aos cinemas.

Em entrevista exclusiva ao iG , publicada nesta terça-feira (31), Biase foi enfático ao afirmar que não pretende deixar que isso vá adiante . “Ouvi falar que querem fazer ‘Menino do Rio’ em musical. O Calainho já teria falado com o Barretão. Mas o filme é meu, eu é que sou o autor. Não vai estrear nada. Vou criar um problema. É muito injusto comigo. Por que ninguém vem falar comigo?”, disse.

Leia tambémAndré de Biase quer barrar remake de “Menino do Rio”

Procurada pela reportagem, a produtora LC Barreto, responsável pelo projeto de refilmagem, informou, através de Helena Barreto, que os trabalhos estão em fase inicial, de “desenvolvimento de roteiro”. Helena confirma ainda que Biase não foi consultado para essa nova versão. “O André foi o protagonista. Não foi o roteirista do filme. E, sim, ele não foi consultado. Afinal, estamos apenas no começo, em fase de roteirização, ainda nem inscrevemos na Ancine (Agência Nacional de Cinema)”, disse Helena, que é neta de Luiz Carlos Barreto.

Biase, entretanto, defende autoria do projeto. “Eu vinha de uma fase de filmes com cenas de nudez, de sexo, auge da pornochanchada. Eu que bolei uma história mais leve, para poder levar meus pais e amigos para o cinema e me verem, sem qualquer constrangimento. Coloquei as ideias no papel e, com elas debaixo do braço, fui bater de porta em porta para que me ajudassem”, conta. “Não quero barrar o filme, não é isso. Quero ser consultado, quero ser ouvido. É preciso que se respeite o direito autoral”, continua o ator.

A produtora informa que não há orçamento fechado nem elenco definido para o remake, mas não descarta a hipótese de participação dos atores da primeira versão do longa. A ideia é que o empresário Luiz Calainho, parceiro do projeto, possa levar para os palcos, na mesma época do lançamento do filme, uma versão teatral, também com foco musical. O novo “Menino do Rio” terá trilha sonora de Lulu Santos e Nelson Motta.

É provável que seja revista a data prevista para lançamento do longa que, segundo o site da Produtora LC Barreto, seria já no verão de 2013.Calainho não retornou as ligações da reportagem até o fechamento desta matéria.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG