Top 10: as Olimpíadas no cinema

"Carruagens de Fogo", "Olympia", "Munique" e outros filmes relacionados aos Jogos na lista

iG São Paulo | - Atualizada às

Perto de completar 125 anos, o cinema nunca fez jus à memória dos Jogos Olimpícos, que remete à antiguidade. Sim, já foram feitos diversos filmes esportivos, mas sobre as Olimpíadas especificamente, não muitos.

Siga o iG Cultura no Twitter

Em sua maioria, os que existem seguram bem a responsabilidade. "Olympia" (1938) e "Carruagens de Fogo" (1981), por exemplo, não raro aparecem em listas de melhores de todos os tempos. Outros não são alvo de tamanha honraria, mas garantem ao menos uma boa diversão.

Pensando nisso, o iG compilou os dez melhores filmes sobre as Olimpíadas, inclusive as de inverno. No intervalo entre uma atração e outra dos Jogos em Londres 2012 , é uma bela opção para celebrar o mundo do esporte.

"Olympia" (1938)
Primeiro documentário sobre as Olímpiadas, e justamente sobre os jogos de 1936, em Berlim. Cineasta oficial do nazismo, a diretora Leni Riefenstahl fez um filme, sim, claramente político, mas influente até hoje, com beleza ímpar e inovações técnicas à frente de seu tempo. "Olympia" é considerado superior a "Triunfo da Vontade", outro trabalho exemplar de Riefenstahl.

Divulgação
Detalhe do cartaz de 'O Homem de Bronze'

"O Homem de Bronze" (1951)
Considerado o maior atleta da primeira metade do século 20, o norte-americano Jim Thorpe saiu de uma reserva indígena em Oklahoma para se tornar um ás do esporte. Jogava futebol americano, beisebol, basquete, tênis, nadava, praticava arco e flecha, corria – nada era difícil para ele. Michael Curtiz, diretor de "Casablanca" (42), comandou essa cinebiografia estrelada por Burt Lancaster, que tem como ponto dramático as Olimpíadas de 1912: Thorpe venceu o pentatlo e decatlo, mas pouco depois perdeu as medalhas de ouro por ganhar dinheiro jogando beisebol – naquela época, só podiam competir atletas amadores. O erro foi corrigido em 1982, quando o Comitê Olímpico devolveu as medalhas à família do esportista.

"Devagar, Não Corra" (1966)
Não é exatamente um filme esportivo, mas tem as olimpíadas como cenário. Em seu último trabalho no cinema, aos 62 anos, Cary Grant chega mais cedo para assistir aos Jogos de Tóquio em 64 e não encontra vaga nenhuma nos hotéis. Acaba dividindo um quarto com os personagens de Samantha Eggar e Jim Hutton, um atleta olimpíco. Além de bancar o cupido para os dois jovens, Grant ainda acaba entrando na competição de marcha atlética nas ruas da capital japonesa. Refilmagem da comédia romântica "Original Pecado" (43), agora com trilha sonora de Quincy Jones.

"Carruagens de Fogo" (1981)
Ganhador de quatro Oscars, inclusive melhor filme, entrou para a história também através de sua trilha sonora – desde então, a música de Vangelis virou sinônimo de esporte. A trama dirigida por Hugh Hudson conta o embate de dois corredores, um cristão escocês e o outro judeu, nos Jogos de 1924. Ouça abaixo a música-tema do filme:

"Um Casal Quase Perfeito" (1992)
Comédia romântica que tem como mote os Jogos Olímpicos de Inverno em Albertville, na França. A ricaça Kate Moseley (Moira Kelly) tem dinheiro para praticar patinação artística com os melhores do mundo, mas não consegue encontrar um parceiro que lhe agrade. Entra em cena o brutamontes Doug Dorsey (D.B. Sweeney), ex-jogador de hóquei que não tem lá muito charme, mas desliza no gelo como ninguém. Não é preciso dizer que a antipatia entre os dois se transforma em paixão ao longo do filme. A fórmula deu tão certo que "Um Casal Quase Perfeito" ganhou duas sequências, nenhuma delas com o mesmo brilho.

"Jamaica Abaixo de Zero" (1993)
Indispensável nas Sessões da Tarde, foi livremente inspirado num caso real. Desolado por não conseguir atingir o índice olímpico dos 100 metros rasos, um velocista jamaicano vê num técnico aposentado (John Candy) de bobsled, o trenó no gelo, a chance de participar dos jogos. Daí que quatro jamaicanos que nunca viram antes um floco de gelo acabam indo parar nas Olimpíadas de Inverno em Calgary, no Canadá. Desacreditado, o time acaba dando uma bela lição de moral em todo mundo que duvidava de seu desempenho. Hilário e emocionante, foi um dos últimos filmes de John Candy, morto em 1994.

Divulgação
'Jamaica Abaixo de Zero': indispensável

"Munique, 1972: Um Dia de Setembro" (1999)
Premiado com o Oscar de melhor documentário, reconstitui os atentados nos Jogos de 1972, na Alemanha. O grupo terrorista palestino Setembro Negro sequestrou e assassinou 11 esportistas de Israel, no que ficou conhecido como o Massacre de Munique. O diretor Kevin MacDonald usa material de arquivo, entrevista parentes das vítimas, autoridades e o único terrorista sobrevivente. Narrado por Michael Douglas.

"Desafio no Gelo" (2004)
Em plena Guerra Fria, a final da disputa pela medalha de ouro nas Olimpíadas de Inverno de Lake Placid, no estado de Nova York, em 1980, se transformou num microsmo dessa queda de braço mundial. De um lado, o time da casa; do outro, os poderosos e favoritos soviéticos. Não havia dúvida de quem iria ganhar, por isso a vitória dos ianques é vista até hoje como um milagre, justamente o título do filme em inglês. Um pequeno sucesso de público e crítica, "Desafio no Gelo" é liderado por Kurt Russell no papel do técnico dos Estados Unidos. Um belo filme sobre esporte em geral, mesmo que sobre o gelo.

"Munique" (2005)
Trabalho subestimado de Steven Spielberg, que reconstitui ficcionalmente os mesmos fatos do documentário “1972 – Um Dia de Setembro”. O filme segue a operação da Mossad, polícia secreta israelense, para eliminar todos os envolvidos no massacre das Olimpíadas de 1972, quando 11 atletas de Israel foram sequestrados e mortos. O ótimo Eric Bana lidera o grupo. "Munique" ganhou cinco indicações ao Oscar, inclusive melhor filme e direção.

"Asterix nos Jogos Olímpicos" (2008)
A terceira aventura estrelada pelos heróis gauleses com atores no cinema adapta os quadrinhos de mesmo nome. Apaixonadix (Stéphane Rosseau) sonha em se casar com a princesa Irina (Vanessa Hessler), mas para isso precisa vencer os Jogos Olímpicos organizados por Júlio César (Alain Delon). Daí aparecem Asterix (Clovis Cornillac) e Obelix (Gérard Depardieu), que vão com ele para a Grécia e o ajudam na competição. Um dos filmes mais caros já feitos na Europa, fechou a boca dos críticos com um belo desempenho nas bilheterias. Thomas Langmann, de "O Artista" , se encarregou da produção.

    Leia tudo sobre: top 10cinemaolimpíadas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG