Cinco destaques para ver no Anima Mundi

Festival de animação chega aos 20 anos com 400 filmes, retrospectiva e indicados ao Oscar

Marco Tomazzoni - iG São Paulo | - Atualizada às

Depois de passar com pompa pelo Rio de Janeiro, São Paulo recebe, desta quarta-feira (25) a domingo, uma amostra reduzida da 20ª edição do Anima Mundi. Reduzida no número de dias, mas não de filmes: são mais de 400, a maioria deles curtas-metragens, do Brasil e de várias partes do mundo.

Siga o iG Cultura no Twitter

Nos 20 anos de festival, há mais um motivo de festa: a partir de agora, o vencedor da mostra competitiva está automaticamente credenciado para se inscrever no Oscar. "É uma grande qualificação para o festival, um dos poucos do mundo a ter essa autorização", comemora Marcos Magalhães, fundador e um dos diretores do evento.

Segundo ele, o Anima Mundi sempre teve uma relação próxima com a Academia de Hollywood, tanto que uma das diretoras do evento, Léa Zagury, vota regularmente no prêmio. A novidade é uma grande janela para que projetos menores possam pleitear uma chance no Oscar – do contrário, só são inscritos filmes que passaram pelo circuito comercial norte-americano, o que, em se tratando de curtas de animação, é tarefa quase impossível.

Leia também:  Vencedor do Anima Mundi vai poder concorrer ao Oscar

No Rio de Janeiro, 70 mil pessoas passaram pelo festival, um dos maiores públicos dos últimos anos. Magalhães ressalta que faz tempo que a animação deixou de ser coisa de criança, fato comprovado por quem cresceu acompanhando o Anima Mundi nessas duas décadas. "Hoje em dia estamos cercados de animação por todos os lados, de propagandas na TV às telas nos caixas de banco, nos mais diversos formatos e conteúdos. A animação hoje é inevitável."

A messagem, portanto, é clara: não adianta resistir. A vasta programação também traz longas, mas a grande maioria são programas que agrupam curtas-metragens diversos, dezenas deles: 18 na competição, seis dedicados ao público infantil, dez no panorama internacional (uma delas específica de documentários) e outros tantos de filmes produzidos em escolas.

Como a curadoria é criteriosa, pode-se entrar numa sessão qualquer sem medo e se encantar com um filme produzido na Tunísia, Singapura, Japão ou Itália. Mesmo assim, o iG separou cinco destaques para aproveitar o que o Anima Mundi 2012 tem de melhor. Veja abaixo.

Divulgação
'Die Hard', paródia dos filmes 'Duro de Matar'

"Head Over Heels"
Grande vencedor do Anima Mundi 2012 no Rio, onde levou os prêmios de melhor curta de estudante, melhor curta pelo voto popular e melhor filme de todo o festival, o que desde já o credencia para o Oscar. Dirigido pelo inglês Tim Reckart, o filme animado em stop-motion segue um casal de idosos, separados em sua própria casa: ele mora no chão, ela no teto do apartamento.

Retrospectiva
Antes do Anima Mundi criar uma mostra competitiva, era só o público que escolhia os destaques da programação ano a ano. É isso que os organizadores valorizaram ao montar uma retrospectiva dos 20 anos do festival: os favoritos dos espectadores brasileiros. Aqui, não há erro: estão lá clássicos como "Deus é Pai", de Allan Sieber, em que Jesus e o Todo Poderoso fazem análise; o engraçadíssimo e sem vergonha "Engolervilha", de Marão; "A Close Shave", aventura da dupla Wallace e Gromit; e o russo "Die Hard", paródia dos filmes "Duro de Matar", com Bruce Willis. Altamente recomendado.

"Arrugas"
O título significa "rugas" em português. É uma adaptação da graphic novel de Paco Roca, sucesso em seu país de origem. O longa-metragem conta a história de Emilio, velhinho com princípio de Alzheimer que, recém chegado em um asilo, luta com a ajuda dos outros moradores para não ser realocado para o andar de cima, específico para casos perdidos. O humor bem dosado com ternura renderam ao filme dois prêmios Goya (melhor animação e roteiro adaptado), uma indicação ao Annie Awards, o "Oscar" da animação, e o prêmio de público do Anima Mundi no Rio.

Divulgação
'Creature Comforts', na mostra da Aardman

Think Oscar
Para comemorar a entrada do festival como um dos poucos a credenciarem filmes para a inscrição do Oscar, foi montada uma mostra com vencedores, indicados e inscritos na Academia de Hollywood. É a chance de conhecer curtas que nem sempre estão disponíveis na internet ou raramente são projetados na tela grande. Na seleção irretocável entraram, por exemplo, o curioso "Frank Film", vencedor do Oscar em 1974 feito com recortes de revista; o surreal "The Lost Thing", da Austrália, ganhador em 2010, e o inglês "The Hill Farm", uma reflexão sobre a vida no campo, indicado em 1990.

PES e comerciais Aardman
Reunidos em um mesmo programa com pouco menos de uma hora, as duas trajetórias são garantia de diversão. O primeiro, elogiado por Michel Gondry, é um diretor norte-americano famoso por seus curtas e comerciais – o mais famoso deles é "Western Spaghetti", sucesso na internet. Já a britânica Aardman é um dos estúdios de animação mais famosos e consagrados do mundo . Criadora da dupla Wallace & Gromit e de filmes como "A Fuga das Galinhas", a empresa emprestou sua expertise para o mundo da publicidade, foco dessa seleção, junto com clipes produzidos nos dois últimos anos. Animador do último longa do estúdio, "Piratas Pirados!" , Jay Grace ministrará uma aula em São Paulo.

SERVIÇO – Anima Mundi 2012 em São Paulo
Memorial da América Latina e Centro Cultural Banco do Brasil
Ingresso: R$ 8 (R$ 4 meia-entrada)
Programação: no site oficial

    Leia tudo sobre: anima mundianimaçãocinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG