Os 5 segredos do sucesso de "A Era do Gelo"

Veja por que a franquia é uma das animações mais rentáveis em bilheterias

iG São Paulo |

Dez anos após a sua estreia nos cinemas, o trio formado pelo mamute Manny, pela preguiça Sid e pelo tigre dente-de-sabre Diego volta às salas de exibição em "A Era do Gelo 4", que estreou na sexta (29 de junho) no Brasil.

O novo filme chega para colocar a franquia da 20th Century Fox na casa do segundo bilhão de dólares - somadas, as três animações anteriores arrecadaram US$ 1,92 bilhão (R$ 3,9 bilhões).

Veja abaixo cinco razões que fazem de "A Era do Gelo" um sucesso de bilheteria.

O esquilo Scratch

Enquanto a maior parte da história é tomada pelos dilemas do trio de protagonistas, o esquilo Scratch rouba as cenas com uma sub-trama na qual faz de tudo para preservar uma noz. Sua importância para a franquia é tanta que os teasers iniciais de "A Era do Gelo 4" só mostravam o pequeno roedor.

Divulgação
O esquilo Scratch, de "A Era do Gelo"

Apelo infantil

Enquanto algumas animações se preocupam em agradar não apenas aos filhos mas também aos pais, inserindo piadas que façam sentido ao público adulto, "A Era do Gelo" não esconde a predileção pela audiência infantil.

Nesse ponto, a preguiça Sid, dublada na versão original pelo ator John Leguizamo, é o grande atrativo. Inocente, atrapalhada e com um enorme coração, ela é a grande criança dentro do filme, que acaba arrumando confusões para os sisudos Manny e Diego.

Animais fofos

Longas de animação protagonizados por animais têm grande apelo comercial. Entre as cinco maiores bilheterias de desenho nos cinemas, duas são protagonizadas por bichos ("O Rei Leão", de 1994, e "Procurando Nemo", de 2003) e outras duas têm animais em papéis de destaque (o Burro e o Gato de Botas roubam a cena em "Shrek 2", de 2004, e "Shrek Terceiro", de 2007).

Acréscimo do 3D

Não foi por acaso que o terceiro "A Era do Gelo" se tornou a maior bilheteria da franquia. Dos filmes já lançados, ele é o único que fez uso da tecnologia 3D, fator que aumenta o valor do ingresso em aproximados 30%.

Com isso, a bilheteria de "A Era do Gelo 3: Aurora dos Dinossauros", de 2007, superou o faturamento do primeiro em US$ 503 milhões (R$ 1,04 bilhão) e do segundo em US$ 231 (R$ 478 milhões).

Getty Images
O cineasta brasileiro Carlos Saldanha

Talento brasileiro

Os três primeiros filmes de "A Era do Gelo" serviram para mostrar a competência do brasileiro Carlos Saldanha na direção.

Enquanto no primeiro filme, de 2002, ele atuou como codiretor ao lado de Chris Wedge, nas animações seguintes Saldanha mostrou competência e alavancou sozinho as bilheterias - na lista de animações mais rentáveis, o segundo e o terceiro filmes estão sete posições acima do primeiro.

A credibilidade do diretor foi tanta que ele pôde deixar a franquia para dedicar-se a um projeto mais pessoal, a animação "Rio" (2011), cuja história é ambientada em sua cidade natal, o Rio de Janeiro.

    Leia tudo sobre: A Era do Geloanimações

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG