Estúdio Aardman, de "Piratas Pirados!", completa 40 anos em 2012

Magos britânicos da animação estão por trás de "A Fuga das Galinhas" e "Wallace & Gromit"

Marco Tomazzoni - iG São Paulo |

Antes da Pixar se tornar sinônimo mundial de animação, uma produtora inglesa já mostrava que o gênero podia unir excelência, arte e entretenimento. Prestes a completar 40 anos, a Aardman Animations lança neste final de semana no Brasil "Piratas Pirados!" , dirigido por um de seus fundadores, Peter Lord. Na contramão da tecnologia, o grosso do longa-metragem não tem computação gráfica e se mantém fiel ao estilo consagrado pela empresa: a animação em stop-motion.

É uma das técnicas mais tradicionais da história do formato, que consiste basicamente em fotografar bonecos de massinha quadro a quadro (24 deles por segundo), fazendo pequenas alterações a cada clique para dar a ilusão de movimento. Mesmo com diversos profissionais envolvidos, é um processo lento e artesanal – não raro uma equipe fica meses dedicada a uma cena que, na tela, dura poucos segundos.

Divulgação
"A Fuga das Galinhas", o primeiro longa-metragem da Aardman, foi um sucesso de bilheteria
No caso da Aardman, o diferencial, além do charme da animação de massinha, fica por conta da beleza e precisão dos cenários aliada a um humor inteligente, alternado entre a sutileza britânica e a comédia física, direta. Essa sofisticação deixava a Aardman quilômetros à frente da concorrência, que nos anos 70 e 80 usava curtas animados basicamente para atividades educativas, sem brilhantismo.
Divulgação
"Creature Comforts": animais dão entrevista

Depois de bons anos produzindo curtas-metragens para a rede BBC, o mundo pop acordou para o potencial da empresa com "Sledgehammer" , clipe de Peter Gabriel de 1986 que dava vida aos versos da letra através da animação stop-motion. O vídeo fez história: é o maior vencedor do MTV Video Music Awards de todos os tempos (nove estatuetas) e também o mais executado até hoje pela emissora em sua programação.

O reconhecimento internacional veio com "Creature Comforts", dirigido por Nick Park, figura-chave do estúdio. O curta mostra animais de um zoológico britânico dando depoimentos sobre sua vida em cativeiro, como se fosse num documentário. Há tartarugas, ursos polares, macacos e até um tigre brasileiro. O filme ganhou o Oscar em 1989 e turbinou a conta bancária da Aardman, dando origem a uma série de TV e comerciais.

Siga o iG Cultura no Twitter

Mas naquele mesmo ano a empresa concorreu com outro curta no Oscar, estrelado por aqueles que viriam a ser seus personagens mais importantes. Park (ele mais uma vez) concebeu Wallace & Gromit, a dupla que mudou tudo. Wallace é um inglês típico, com gravata e colete tricotado, mania de inventor e maluco por queijo. O gênio da casa, porém, é o calado Gromit, cachorro inteligentíssimo que se comporta como humano e salva o dono de todas as confusões.

Depois de "A Grand Day Out" (1989), outros curtas de aproximadamente 30 minutos com a dupla se seguiram: "The Wrong Trousers" (1993) e "A Close Shave" (1995). Desta vez, eles ganharam o Oscar e deram fôlego para a Aardman assinar uma parceria com a Dreamworks, o que garantia financiamento e distribuição de seus trabalhos.

Divulgação
Wallace & Gromit, as estrelas do estúdio Aardman
O primeiro fruto do contrato foi de cara um sucesso. Lord e Park dividiram a direção de "A Fuga das Galinhas" (2000), longa-metragem de estreia da companhia. Na trama, situada nos anos 1950, o galo Rocky (dublado por Mel Gibson) se torna a esperança das galinhas de uma fazenda, que morrem de medo de virar torta. A solução para fugir dali? Voar.
Divulgação
"Por Água Abaixo", animação digital da Aardman

Com orçamento de US$ 45 milhões, o filme faturou cerca de US$ 220 milhões nas bilheterias e prolongou a lua de mel com a Dreamworks, que fechou o negócio quando "A Fuga das Galinhas" já estava em produção (os longas animados da Aardman levam em torno de quatro anos para ser concluídos).

Em 2005, dez anos depois de sua última aparição no cinema, Wallace & Gromit já eram celebridades. Foi a deixa para a estreia de seu esperado primeira longa-metragem. Apesar das boas críticas, "A Batalha dos Vegetais" não foi o mesmo estouro que "A Fuga das Galinhas".

Em 2006, a primeira animação computadorizada da Aardman, "Por Água Abaixo", também não teve o desempenho esperado pela Dreamworks, apesar dos dois filmes terem ultrapassado a marca dos US$ 170 milhões. A parceria foi encerrada e abriu as portas para um novo acordo, agora com a Sony.

Desta nova etapa, saíram "Operação Presente" , outra animação feita por computador, que estreou em de dezembro de 2011, sobre o filho do Papai Noel, e agora "Piratas Pirados!" , a estreia da Aardman no formato 3D.

Apesar da inovação, a filmagem de "Piratas" deu a mesma canseira de sempre. Uma equipe técnica de 525 pessoas trabalhou no filme, incluindo 33 animadores e 41 unidades de filmagem em quatro estúdios. "Nós tínhamos de 35 a 40 animadores trabalhando e tantos Capitães Piratas que podíamos rodar até 20 cenas com ele simultaneamente, em diferentes partes do estúdio", conta o diretor Peter Lord no material de divulgação.

Divulgação
O diretor Peter Lord posa em um dos cenários de "Piratas Pirados!"
A equipe utilizou animação digital para imitar a água do mar, mas foi só: todo o resto da animação permaneceu sendo feito a mão.

"Em muitos aspectos, estamos animando do mesmo modo que se animava 50 anos atrás, mas combinamos esse trabalho com efeitos visuais de última geração porque, se existe uma coisa que não se consegue animar em stop-frame, é o mar”, explica Lord. "Mas isso sem nunca nos distanciarmos daquilo que eu creio que os espectadores amam com relação à animação stop-frame: os sets e adereços parecem incrivelmente reais, mas também mágicos ao mesmo tempo. Eu não sei se existe um estilo Aardman com relação ao desenho, mas certamente existe em termos de um compromisso com um trabalho artesanal bonito e belas esculturas.”

O navio pirata é um bom exemplo desse esforço. Inteiramente fabricado pelos animadores, levou 5 mil horas para ser construído e acabou pesando 350kg. Em tamanho real, tem 4,2 metros de comprimento e tem 4,5 metros de altura. Imagine o trabalho da equipe em animar com um mastodonte desse tamanho. Parte da magia da Aardman.


    Leia tudo sobre: animaçãoaardmanpiratas pirados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG