Criador da Wikipedia prevê que internet acabará com Hollywood

Próxima revolução na rede será em torno da imagem e tão ampla que poderá destruir a indústria do cinema

EFE |

Getty Images
Jimmy Wales, o fundador da Wikipedia
O fundador da Wikipedia, Jimmy Wales, afirmou nesta segunda-feira (dia 23) que a internet deverá acabar com a indústria cinematográfica de Hollywood em poucos anos, assim como seu site acabou com a Enciclopédia Britânica.

"Ninguém se dará conta quando Hollywood morrer. E mais, ninguém vai se importar", disse Wales em seu discurso no Global INET 2012, um fórum que analisa o presente e o futuro da rede nos próximos dois dias.

Siga o iG Cultura no Twitter

O criador da maior enciclopédia generalista da internet argumentou que a próxima grande revolução na rede será em torno da imagem, uma mudança que, segundo Wales, será tão ampla que será capaz de acabar com a maior indústria mundial do cinema. Wales indicou que a familiaridade e a habilidade dos mais jovens em produzir e trocar imagens na rede estão abrindo espaço para "uma grande comunidade que colabora e produz filmes".

Da mesma forma que ocorreu com a Wikipedia, este "não é um processo relacionado com uma inovação técnica, mas com uma inovação social", assinalou Wales, que usou a própria filha, de 11 anos, para exemplificar essa previsão. "Ela maneja com total desenvoltura uma câmara de alta definição, que usa para captar, editar e produzir seus próprios filmes na internet."

Leia também: Hollywood ainda luta para aproveitar a tecnologia 3D

"Atualmente, o vídeo na rede está na mesma situação que estava em 1999. O YouTube é divertido, mas também é uma contribuição individual", avaliou este visionário da rede. De acordo com Wales, será a geração de sua filha que vai liderar esta grande mudança na maneira de produzir e compartilhar entretenimento no mundo. "Quando essa geração completar 22 anos, realizará filmes com mais qualidade do que os de Hollywood. Esses mesmos filmes serão mais populares e destruirão o modelo de negócio vigente. Ocorrerá o mesmo que ocorreu com a Wikipedia, que fez com que a Enciclopédia Britânica não fosse mais impressa 11 anos após sua criação", declarou.

Segundo o criador da Wikipedia, a indústria de Hollywood tem motivos suficientes para estar preocupada com a pirataria, mas, acima de tudo, deveria levar em conta que "há uma grande possibilidade de que todo o seu modelo de produção esteja completamente ultrapassado dentro de muito pouco tempo".

Leia também: Brasil terá "Wikipedia" das plantas da Amazônia

Wales, que admitiu ter feito muitas previsões erradas nos últimos anos, ressaltou que essas mudanças sociais e culturais se desenvolvem de maneira muito rápida e são consequências da presença da internet no mundo, onde 2 bilhões de pessoas já estão conectadas à rede. O criador da Wikipedia também exaltou a democratização de seu uso, sendo a África o grande exemplo dessa transformação. Em 2000, só 0,1% dos nigerianos estavam conectados a internet, enquanto hoje essa margem é de 29% e ainda está em plena expansão tecnológica (smartphones no valor de US$ 80) e de infraestrutura (banda larga de até 12 terabits).

Ainda com foco na África, Wales rebateu a ideia de que no Terceiro Mundo a utilidade da internet tenha a ver unicamente "com a consulta das colheitas e a aplicação de vacinas", assegurando que os africanos fazem o mesmo que os cidadãos do Primeiro Mundo: se relacionam com o resto do planeta através de redes como Facebook ou Twitter. Esse processo também está supondo um enriquecimento da diversidade cultural e linguística, como assegurou o fundador da Wikipedia: "A era na qual podíamos afirmar que todo o mundo fala inglês já não existe".

    Leia tudo sobre: cinemaHollywoodWikipedia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG