Diretor de "Anonymous" chama Shakespeare de impostor

Novo trabalho de Roland Emmerich defende que o conde de Oxford foi o verdadeiro autor de obras como "Hamlet" e "Romeu e Julieta"

EFE |

Divulgação
Cena do filme "Anonymous"
O cineasta alemão Roland Emmerich deixou de lado as ameaças e catástrofes naturais para voltar ao território da literatura universal com o filme "Anonymous", que retrata o dramaturgo britânico William Shakespeare como uma espécie de impostor, mas, segundo o próprio cineasta, nada que seja um "terremoto".

O filme histórico, que estreou nesta semana nos Estados Unidos, é ambientado na Inglaterra do século 16 e especula o que durante séculos foi motivo de intrigas para acadêmicos e intelectuais como Mark Twain, Charles Dickens e Sigmund Freud: "Quem foi o verdadeiro autor das obras que aparecem assinadas por William Shakespeare?"

Siga o iG Cultura no Twitter

"Sim, ele era um impostor", garante Emmerich em entrevista à Agência EFE, convencido de que o protagonista de seu filme, o conde de Oxford, interpretado pelo ator galês Rhys Ifans, "tem 95% de chances" de ser o autor dessas verdadeiras joias literárias, como "Hamlet" e "Romeu e Julieta".

O diretor de "Anonymous", que trabalhou durante quatro anos no filme, afirma não ter medo de falar o que pensa claramente e acredita que o cinema, como arte, é uma forma de provocação. "Vivemos em um tempo muito chato. Agora ninguém tem coragem de dizer as coisas", lamenta Emmerich, que reconhece que seu novo filme poderá ser provocativo, mas o considera uma grande história. "E se é verdade ou mentira, a verdade é que não me importa".

nullEm todo caso, Emmerich não acredita que "Anonymous" será um "terremoto" para a história da literatura universal. Isso porque, em sua opinião, os literários são tão presos em suas teorias que nem um terremoto seria suficiente para fazer com que eles mudassem de ideia. "Os professores de literatura têm muito a perder. Vivem disto e em cima de suas ideias há uma indústria turística que movimenta bilhões de dólares", completou o diretor, responsável por "Independence Day" (1996) e "Godzilla" (1998).

"Provavelmente nunca vamos saber se o conde de Oxford esteve por trás dessas obras, mas tudo indica que tenha sido ele", declara Emmerich, recordando que não há nenhuma evidência escrita de que Shakespeare tenha escrito todas as 37 obras de teatro e 154 poemas a ele atribuídas. Apesar de buscar uma opinião contrária, o diretor diz odiar as possíveis teorias da conspiração, seja no caso de Shakespeare, nos atentados terroristas do 11 de Setembro e na chegada do homem à Lua.

Falando de provocações e conspirações, o cineasta alemão revela admiração pelos "manifestantes de Wall Street", que estão acampados desde 17 de setembro no coração financeiro de Nova York para protestar contra os excessos do sistema financeiro. "Já era hora de as pessoas acordarem. Como não surgiu um movimento assim antes? Um punhado de pessoas ganha bilhões enquanto são carregados pelos esforços da classe média", argumenta.

    Leia tudo sobre: AnonymousRoland EmmerichCinemaShakespeare

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG