China liberta Ai Weiwei após pagamento de fiança

Investigado por "crimes financeiros", artista foi solto por bom comportamento e após confissão; "estou muito feliz", disse

iG São Paulo com agências |

O artista chinês Ai Weiwei foi libertado nesta quarta-feira (22) após fazer o pagamento de uma fiança. De acordo com um comunicado divulgado pela agência oficial Xinhua, Weiwei, preso desde 3 abril sem mandado judicial, foi solto devido a seu "bom comportamento e após confessar seus crimes".

O texto informa que outro motivo da libertação foi sua "doença crônica", sem mencionar o diabetes e a hipertensão sofridos pelo artista de 54 anos. Segundo a agência, Weiwei se ofereceu para pagar os impostos que supostamente deve.

"Estou de volta à minha família. Estou muito feliz", disse Weiwei ao jornal britânico "Guardian". O artista afirmou ainda que não poderia comentar mais o caso por ter sido libertado sob fiança: "Por favor, entenda".

Siga o iG Cultura no Twitter

Ai Weiwei foi detido no aeroporto de Pequim no início de abril e mantido em local desconhecido, na maior repressão do governo chinês contra ativistas em anos. As autoridades afirmam que uma empresa controlada pelo artista sonegou impostos "em um valor enorme" e destruiu documentos de contabilidade.

Um dos criadores do estádio Ninho do Pássaro, usado nas Olimpíadas de 2008 em Pequim, Weiwei é muito prestigiado no circuito internacional de arte e expoente da arte conceitual chinesa. Com trabalhos exibidos em galerias e museus no mundo inteiro, ficou famoso por liderar campanhas contra a censura governamental e restrições políticas, frequentemente fazendo uso da internet. A prisão do artista gerou protestos da comunidade internacional e colocou a liberdade de expressão na China de novo em pauta.

    Leia tudo sobre: ai weiweiartechina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG