Ator e estúdio negociam fim da disputa judicial entre eles, segundo o Los Angeles Times

Após a estreia da nona temporada de "Two and a Half Men" nesta segunda-feira (19) nos Estados Unidos, parece que tudo se acerta ao redor da série. De acordo com o Los Angeles Times, Charlie Sheen e o estúdio Warner Bros. estão próximos de um acordo de US$ 25 milhões (R$ 44,41 milhões) que encerraria a disputa judicial entre as partes.

Siga o iG Cultura no Twitter

Apesar da Warner negar o acordo e se recusar a falar sobre o assunto, uma fonte que representa Sheen nas negociações revelou ao jornal que o acordo está próximo do fim. O ator processou a Warner após ser demitido de "Two and a Half Men" em fevereiro, devido a seu abuso de drogas e por ter xingado o produtor Chuck Lorre e o estúdio. Sheen queria US$ 100 milhões de indenização.

Nas últimas semanas, Charlie Sheen vinha demonstrando sinais de paz em relação à disputa. Em entrevista ao programa Today, da rede de televisão NBC, o ator declarou que sua vida está bem mais calma agora . No domingo (18), antes de apresentar o prêmio de melhor ator no Emmy , ele pediu desculpas pelos problemas no início do ano e desejou sorte ao elenco de sua antiga série na nova temporada.

Nesta segunda, durante a exibição do primeiro episódio da nona temporada da série, com Ashton Kutcher como seu substituto, Sheen postou em seu Twitter: "Estranho... Mas bom... Até agora, várias risadas". Completou pouco depois: "Morrendo de rir".

Quando deixou a série, em fevereiro, Sheen era o ator mais bem pago da TV norte-americana, recebendo US$ 2 milhões por episódio. Atualmente o ator trabalha numa adaptação do filme "Tratamento de Choque" (2003), com Adam Sandler e Jack Nicholson, para a televisão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.