País será o segundo da América Latina e sexto do mundo a ter centro

O Brasil será o segundo país da América Latina, depois do México, a contar com um centro regional de formação para a gestão do patrimônio universal da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), segundo um convênio assinado hoje. O acordo foi assinado pela diretora-geral do órgão, a búlgara Irina Bokova, e o ministro da Cultura brasileiro, Juca Ferreira, durante a 34ª reunião do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco, realizada em Brasília. O centro regional funcionará no Rio de Janeiro a partir do ano que vem e estará orientado à formação de especialistas em assuntos de preservação patrimonial da América Latina e de países africanos de lusófonos.

Irina disse que "o centro vai contribuir" não só em um âmbito "regional", mas também dentro de um "esforço global", para a gestão do patrimônio mundial. O diretor do Centro do Patrimônio Mundial da Unesco, o italiano Francesco Bandarin, afirmou que se trata do "segundo na América Latina", depois do México, e o "sexto no mundo". Bandarin acrescentou que "cada centro é autônomo, mas também faz parte de uma rede de pesquisa e acompanhamento do desenvolvimento do patrimônio mundial".

Já o ministro da Cultura ressaltou a "necessidade de atualização" dos critérios de seleção dos patrimônios da Unesco, para que seja avaliada "toda a experiência da humanidade" e ampliada a representação de regiões que até agora têm baixa presença na prestigiosa lista, como América Latina, África e Ásia.

Segundo Bandarin, o centro no Rio de Janeiro faz parte de uma "estratégia da Unesco para criar lugares especializados na proteção do patrimônio mundial", por meio de ações de formação, cooperação e troca de conhecimentos.

Durante a reunião do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco, que termina no dia 3 de agosto, serão discutidas as 41 novas candidaturas apresentadas por 35 países, das quais, "dez já têm uma avaliação positiva", segundo Bandarin, que não identificou quais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.