Artista plástico vive um ano em ovo flutuante para estudar natureza

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Stephen Turner registrou a vida marinha enquanto flutuou por riachos de parque no sul da Inglaterra

BBC

O artista plástico Stephen Turner passou os últimos 12 meses vivendo em um "ovo" flutuante em riachos de New Forest, um parque nacional no sul da Inglaterra, próximo ao litoral. A empreitada é, na verdade, parte de um projeto artístico para documentar a natureza.

O objetivo do projeto era explorar a natureza mutante da paisagem durante as quatro estações do ano. Turner se descreve como um "refém da natureza" e, durante o projeto, ele registrou a vida marinha, produzindo diversos trabalhos artísticos dentro do ovo e fora dele. "Eu me dedicava a desenhar, fotografar e fazer vídeos para documentar minhas experiências."

BBC
Stephen Turner passou os últimos 12 meses vivendo em um "ovo" flutuante


Durante os 365 dias e noites que passou no ovo, Turner flutuou livremente, se virando para todos os lados, indo para cima e para baixo acompanhando o ritmo intenso das marés. Turner vê em um ovo algo que vai muito além do seu significado mais básico.

"O ovo era minha vida, 24 horas por dia, sete dias por semana", disse o artista. "Era como um relógio. A cada 12 horas, ele saía do leito do rio à medida que a maré chegava."

Rotina

"Os dias eram preenchidos com tarefas rotineiras como limpeza, lavar roupas, cozinhar, limpar o banheiro químico, encher os tanques de água e esvaziar a o depósito de água."

Medindo 6 metros por 2,8 metros, o ovo foi construído com madeira de cedro reaproveitada. O objeto recebeu registro de embarcação, podendo navegar pelos rios do país. Apesar dos vazamentos e do mofo que tomou conta de sua comida e de suas roupas durante as tempestades de inverno, Turner disse que nunca pensou em desistir.

BBC
O ovo flutuante do artista plástico

Por dentro, o ovo é equipado com um banheiro, um chuveiro e uma pequena cozinha – mas não há geladeira. O aquecimento vem de um fogão à lenha e a eletricidade, de painéis solares portáteis.

Turner, que tem diplomas em arte, história e ciência da filosofia, disse que o projeto era uma tentativa "para dar voz às marés e às criaturas e à flora que chama esse lugar de casa."

Durante o projeto, ele fez geleia, vinho, tinta, além de ter tingido roupas. Ele também usou materiais reciclados para construir outro barco, o qual ele equipou com uma época. Ele também visitou escolas da região para fazer workshops e falar do projeto do ovo com as crianças.

O artista também fazia caminhadas pela região e coletava objetos que encontrava: "Achei um porco de brinquedo, mas o mais útil foi um chapéu".

O projeto, que foi financiado pelo Comitê de Artes da Inglaterra, agora será exibido ao público. Não apenas o ovo, mas também as obras de arte farão parte de uma mostra que passará por diversas cidades britânicas.

Leia tudo sobre: artes plásticasnatureza

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas