Morre o escritor e ambientalista Farley Mowat

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Autor canadense tinha 92 anos e vendeu mais de 17 milhões de exemplares de seus livros pelo mundo

Divulgação
O autor canadense Farley Mowat morreu aos 92 anos

Farley Mowat, um dos escritores mais famosos do Canadá, que também lutava pelos direitos dos nativos e criticava o abuso ambiental, morreu nesta terça-feira (6) em Port Hope, Ontario, onde vivia há muitos anos. Ele tinha 92 anos e sua morte, ainda sem causa divulgada, foi confirmada por diversos amigos.

Siga o iG Cultura no Twitter

Mowat era autor de 45  livros e vendeu mais de 17 milhões de exemplares traduzidos para 52 idiomas. Ele escrevia desde livros humorísticos e leves até assuntos históricos e contos sobre injustiça.

Um tema, porém, era constante: sua relação com a natureza, e condenava o ser humano como força destrutiva desta.

O livro mais famoso do escritor é "Os Lobos Não Choram" (1963), no qual conta suas aventuras como biólogo em uma missão para estudar os lobos do Ártico canadense, em 1946.

Sua carreira como autor começou a se firmar no final dos anos 1940, depois de servir no exército canadense durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1957, ele escreveu "The Dog Who Wouldn't Be", que a crítica apontou como um dos melhores romances juvenis de todos os tempos.

Stephen Harper, primeiro-ministro canadense, disse em comunicado que Mowat era um "contador nato, que tinha o dom de contar anedotas pessoais com vivacidade e de forma sensível".

Leia tudo sobre: farley mowat

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas