Estilista Fause Haten surpreende como ator na peça "A Feia Lulu"

Por Luciana Franca , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Em estreia no teatro, costureiro escolhe o conhecido território da moda para contar sua trajetória e a de Yves Saint Laurent

No mesmo palco do Teatro Faap, em São Paulo, onde Marília Pêra deu vida a Coco Chanel dez anos atrás, o estilista Fause Haten convence na pele de outro grande nome da moda: Yves Saint Laurent.

Caio Gallucci/Divulgação
Fause Haten em 'A Feia Lulu'

Fause surpreende em sua estreia como ator e faz quatro papéis na peça "A Feia Lulu": além do costureiro argelino, ele interpreta ainda o parceiro e sócio de Saint Laurent, Pierre Bergé, a endiabrada Lulu ("La Vilaine Lulu"), personagem de quadrinhos criada pelo ex-estilista da Dior nos anos 1950, e dele mesmo.

Siga o iG Cultura no Twitter

Caio Gallucci/Divulgação
Fause Haten em 'A Feia Lulu'

O espetáculo começa com um relato emocionado sobre a venda malsucedida de sua própria marca em 2008 e segue como uma costura bem-acabada de sua trajetória e a de Yves Saint Laurent. "Percebi algumas similaridades e pontos em comum. Percebi que na realidade a persona Fause Haten, que precisaria se esconder num trabalho de teatro, passou a ser um trunfo. Entendi que o Fause também era um personagem da peça", explica ele.

Se a impressão é a de que o estilista escolheu o território conhecido e seguro da moda para estrear no palco, a cena em que aparece com o vestido vermelho da malvada garotinha de quatro anos Lulu comprova que é o ator Fause Haten quem está em cena.

Formado pela escola de teatro Célia Helena, o estilista também é autor do texto ao lado de cinco criadores. "Eu tinha vontade de escrever. Compor músicas já era um ensaio para contar uma história", diz ele, que gravou dois discos e cantou em um de seus desfiles. "Comecei a procurar textos, fiz testes, conversava com as pessoas e não me achava muito. Não tive uma certeza. E aí um dia me veio na cabeça essa história do Saint Laurent e aquilo me movimentou profundamente", conta. "Assisti à peça 'Camille e Rodin', que era sobre o casal e tinha a história deles artística e de amor, e fiquei com isso na cabeça. Yves Saint Laurent é a história de um casal, de relação artística, de moda", completa sobre a escolha do primeiro texto.

E, claro, é Fause Haten quem também assina os figurinos da peça. Afinal, a moda, segundo ele, é ainda o seu ganha-pão.

"A Feia Lulu"
Obra de Fábio Retti, Fause Haten, Gregory Slivar, Francisco Carlos, Marina Caron e Ondina Clais Castilho
Atriz convidada: Olivia Martins
Teatro Faap (r. Alagoas, 903, São Paulo; tel. 11-3662-7233 / 3662-7234; www.teatrofaap.com.br)
Segundas e terças, às 21h (até 3 de junho)
R$ 60

Leia tudo sobre: fause hatenteatroa feia lulu

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas