Fotógrafo pinta com luzes a noite de cidade francesa

Por BBC (Brasil) | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Munido de projetor, computador e gerador portátil, Philippe Echaroux projeta retratos em árvores, edíficios, armazéns e rochas

BBC

Munido de um projetor, um computador e um gerador portátil, o fotógrafo francês Philippe Echaroux vem colorindo a noite de Marselha, no sul da França.

Na série intitulada Pintando com Luzes, ele projeta retratos em árvores, edifícios, armazéns e pedras.

Veja algumas das obras do fotógrafo:

 Uma série de projeções iluminadas vem colorindo a noite de Marselha no sul da França. . Foto: Divulgação O projeto "Pintando com Luzes" foi criado pelo fotógrafo francês, Philippe Echaroux. . Foto: Divulgação Usando um projetor, um computador e um gerador portátil, Echaroux projeta retratos em árvores, edifícios, armazéns e pedras. . Foto: Divulgação O resultado é uma forma temporária de arte urbana que não causa danos ao patrimônio público. . Foto: Divulgação "Na minha avaliação da arte urbana, meu objetivo é criar obras que não deixam rastros sobre sua passagem", diz Echaroux. "Quero fazer arte de rua, mas algo não-destrutivo", acrescenta. . Foto: Divulgação Ao explicar o que ele chama de "Arte de rua 2.0", o francês filosofa: "Meu objetivo, como fotógrafo, é devolver a luz que eu capturei todos os dias". . Foto: Divulgação "Eu amo o trabalho de Banksy, e o estilo do grafite, só que não quero fazer algo semelhante a ele. Acho que um artista verdadeiro tem de ser alguém que sempre produza novas coisas". . Foto: Divulgação "O que mais gosto da minha arte é como uma música tocada ao vivo, só acontece uma vez por alguns minutos e pode permanecer para sempre gravada na memória dos espectadores". . Foto: Divulgação

O resultado é uma arte urbana efêmera que não causa danos ao patrimônio público.

Siga o iG Cultura no Twitter

"Na minha avaliação da arte urbana, meu objetivo é criar obras que não deixam rastros", diz Echaroux. "Quero fazer arte de rua, mas algo não-destrutivo", acrescenta.

Ao explicar o que ele chama de "Arte de rua 2.0", o francês filosofa: "Meu objetivo, como fotógrafo, é devolver a luz que capturei todos os dias".

"Comparo minha arte a uma música tocada ao vivo; só acontece uma vez por alguns minutos e pode permanecer para sempre gravada na memória dos espectadores".

Leia tudo sobre: bbc brasilphilippe echaroux

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas