Em cartaz no MoMa, mostra destaca carreira de Ileana Sonnabend, que apresentou movimento aos europeus

BBC

Em meio século de carreira, a galerista e colecionadora Ileana Sonnabend foi uma das figuras mais influentes no cenário artístico do pós-guerra nos EUA e na Europa, promovendo o trabalho de artistas inovadores que depois ganhariam fama internacional.

Siga o iG Cultura no Twitter

Com galerias em Paris (aberta em 1962) e em Nova York (em 1970), Sonnabend foi uma espécie de embaixadora, responsável por apresentar a pop art e o minimalismo americano aos europeus e a arte povera italiana aos EUA.

O legado de Sonnabend, morta em 2007 aos 92 anos, é o tema de uma exposição que será aberta neste sábado no Museum of Modern Art (MoMA), em Nova York.

A mostra Ileana Sonnabend: Ambassador for the New ("Ileana Sonnabend: Embaixadora do Novo", em tradução livre) apresenta obras de 41 artistas que expuseram em suas galerias entre os anos 1960 e 1980.

São pinturas, esculturas, fotografias, vídeos e performances de artistas como Andy Warhol, Robert Rauschenberg, Roy Lichtenstein, Jeff Koons e Mario Merz.

"Ileana Sonnabend era acima de tudo uma pessoa que amava a arte e amava os artistas", diz a curadora da mostra, Ann Temkin.

"Ela dedicou sua vida a esse amor e, assim, exerceu uma profunda influência nos rumos da arte durante a última metade do século 20."

A mostra fica em cartaz até 21 de abril de 2014.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.