Registro de punições escolares de John Lennon vai a leilão

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Folhas encontradas por professor no final dos anos 1970 descrevem comportamentos como 'briga em classe' e 'sabotagem' para justificar punições

BBC

Duas folhas de registro escolar descrevendo as infrações cometidas na escola por John Lennon quando adolescente serão vendidas em um leilão.

John Lennon em retrato de 1966. Foto: Getty ImagesJohn Lennon em 1964. Foto: Divulgação/Harry BensonJohn Lennon e sua mulher, Cynthia, em 1964. Foto: Getty ImagesPaul McCartney e John Lennon com o apresentador Ed Sullivan. Foto: Charles Trainor / DivulgaçãoJohn Lennon em Chicago, 1966, depois de se desculpar na imprensa por dizer que os Beatles eram mais famosos que Jesus. Foto: Divulgação/Harry BensonJohn Lennon e George Harrison em 1967, durante as filmagens da "The Magical Mystery Tour". Foto: Getty ImagesJohn Lennon em Nova York nos anos 1970. Foto: DivulgaçãoLennon e Yoko Ono, no apartamento do edifício Dakota, em Nova York. Foto: DivulgaçãoJohn e Yoko em Nova York, em 1980. Foto: Getty Images

Os professores da escola Quarry Bank High School for Boys, em Liverpool, escreveram nos registros que Lennon, aos 15 anos, foi punido por "brigar em sala de aula" e por "sabotagem".

As duas folhas, de 1955, foram resgatadas nos anos 1970 por um professor encarregado de destruir os registros antigos guardados em um depósito na escola.

Estima-se que as duas folhas alcancem até 3 mil libras (cerca de R$ 11,1 mil) no leilão.

Os documentos revelam que por duas vezes o ex-Beatle chegou a receber três castigos em um só dia.

Outras razões dadas pelos professores para as punições incluem "perturbação", "empurrar" e "não mostrar nenhum interesse".

Folhas arrancadas

As duas folhas cobrem os períodos de 19 de maio a 23 de junho de 1955, quando ele estava na classe 3B, e de 25 de fevereiro de 1955 a 13 de fevereiro de 1956, quando estava na classe 4C.

Lennon conheceu Paul McCartney em 1957 e juntos eles formariam mais tarde os Beatles, que estouraram em 1962 com a música Love Me Do.

O professor que descobriu os registros de punições, no fim dos anos 1970, havia sido instruído pela escola a queimar os documentos encontrados em um depósito na escola previsto para ser ocupado por um novo professor contratado.

Divulgação
O músico John Lennon

Mas ao ver o nome "Lennon" escrito acima de uma das páginas ele percebeu que elas se referiam ao estudante famoso e arrancou as folhas do livro para guardar como lembrança.

Siga o iG Cultura no Twitter

Algumas outras páginas que ele havia tirado do livro para guardar foram depois destruídas em um acidente envolvendo substâncias químicas.

Outras páginas foram dadas por ele a outras pessoas. As duas que serão leiloadas são parte das poucas que sobraram.

A autenticidade das páginas foi comprovada por Pete Shotton, amigo próximo de Lennon na escola, que escreveu o livro In My Life, sobre sua convivência com o futuro músico.

"Essa lista é típica de John Lennon, ele era um garoto extremamente abusado", comentou Peter Beech, que era professor de ciências na época.

"Mas ele tinha limites. Dentro da classe, se você conseguisse acalmar John, você normalmente acalmava a classe inteira", disse.

John Lennon foi assassinado em 8 de dezembro de 1980, aos 40 anos, em frente ao seu apartamento em Nova York.

O leilão online das folhas de registro escolares, feito pelo site TracksAuction.com, começará no dia 22 de novembro.

Leia tudo sobre: john lennonleilão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas