Com assinatura de Stephen King, o sucesso "Under the Dome" estreia no Brasil

Por Mariane Morisawa , de Los Angeles, especial para o iG |

compartilhe

Tamanho do texto

Fenômeno nos EUA, série que começa a ser exibida nesta segunda-feira (4) pela TNT mostra pequena cidade coberta por uma redoma invisível e praticamente impermeável

Os fenômenos inexplicáveis, apocalípticos, andam em voga na literatura, no cinema e na televisão. “Under the Dome”, que estreia nesta segunda (4), às 22h30, no canal TNT, é baseado na obra de Stephen King e não foge desse clima: uma redoma invisível e praticamente impermeável surge sobre a pequena cidade de Chester’s Mills, deixando-a sem comunicação com o resto do mundo.

Divulgação
Imagem do seriado 'Under the Dome'

O suspense sobre a origem do domo corre em paralelo com as reações das pessoas presas nele. O carismático Big Jim (Dean Norris, de “Breaking Bad”) deixa aflorar sua sede pelo poder, enquanto seu filho Junior (Alexander Koch) enlouquece depois de perceber que os sentimentos da namorada Angie (Britt Robertson) são menos fortes que os dele.

Dale “Barbie” Barbara (Mike Vogel), um militar de passagem pela cidade, tem muitos segredos a esconder – no episódio piloto, aparece enterrando o marido da jornalista Julia (Rachelle Lefevre) antes de ser aprisionado pela cúpula invisível.

Siga o iG Cultura no Twitter

“A melhor coisa do seriado é como ele muda constantemente. No piloto, você vê Barbie se livrando de um corpo, e Big Jim cumprimentando todo o mundo, sendo simpático, como se estivesse defendendo os interesses da cidade”, disse Mike Vogel em entrevista à imprensa internacional, em Los Angeles.

“O bom conteúdo não se acomoda, vive se transformando. E neles os bons têm seu lado mau e vice-versa. Estamos num aquário, e é interessante ver como as pessoas reagem", completou.

Imagem da série 'Under the Dome'. Foto: DivulgaçãoImagem da série 'Under the Dome'. Foto: DivulgaçãoImagem da série 'Under the Dome'. Foto: DivulgaçãoImagem da série 'Under the Dome'. Foto: DivulgaçãoImagem da série 'Under the Dome'. Foto: DivulgaçãoImagem da série 'Under the Dome'. Foto: DivulgaçãoImagem da série 'Under the Dome'. Foto: Divulgação

Mesmo o polêmico Big Jim não acha que está fazendo maldades. “Para ele, é muito importante crer que está fazendo o correto para a cidade”, explicou Norris. E, neste cenário, seu filho fica em segundo plano. “Ele cria sozinho o filho desde que sua mulher morreu dez anos atrás e não é o melhor dos pais, não por ser mau, mas por não saber lidar com o maluquinho.”

A série de 13 episódios foi o maior fenômeno da temporada do verão americano. Não dá para negar que as assinaturas dos produtores Steven Spielberg e Stephen King ajudaram a dar um empurrãozinho.

“É algo que se herda no DNA desde o começo da humanidade: queremos histórias que retratem como somos enquanto cultura e enquanto pessoas”, disse Norris. “E isso é o que faz Stephen King, porque toca em grandes temas como criaturas que te visitam, os horrores, os medos que temos...”

Para o ator, o seriado toca num terror fundamental dos seres humanos, que é o da total destruição da civilização a qualquer momento. “Toda a amabilidade despareceria muito rapidamente se você estivesse tentando sobreviver. O seriado faz sucesso porque nos perguntamos como agiríamos naquela situação.”

Apesar de o livro ser bem grandinho, com suas mais de mil páginas, o seriado, claro, precisa tomar certas liberdades em relação à obra original. Por isso, mesmo os atores são mantidos no escuro. “Eu só sei o que vai acontecer com meu personagem poucos dias antes da gravação, quando recebo o roteiro”, contou Alexander Koch.

Da segunda temporada, que estreia ano que vem, só ouviu dizer que se passa um ano depois da aparição do domo. A boa notícia é que Stephen King parece ter gostado da adaptação e se comprometeu a escrever o primeiro episódio do segundo ano de “Under the Dome”.

Leia tudo sobre: under the domestephen kingtelevisãoseriados

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas