"Família" é palavra-chave da segunda temporada de "The Following", diz criador

Por Mariane Morisawa , de Nova York, especial para o iG |

compartilhe

Tamanho do texto

Realizadores de "Person of Interest" também apresentam novidades da série na New York Comic Con

"Família" será a palavra-chave da segunda temporada da série "The Following", que estreia em janeiro nos Estados Unidos - a data de lançamento no Brasil ainda não foi confirmada pelo Warner Channel. Foi o criador da série, Kevin Williamson, quem fez a misteriosa afirmação durante a Comic Con de Nova York, encerrada no domingo (13).

A principal novidade da série é que, de alguma forma, Joe Carroll, o mestre de todos os assassinos em série, estará de volta na segunda temporada. A presença do ator James Purefoy no evento deu a entender que, aparentemente, ele sobreviveu à explosão do final da primeira temporada.

A equipe de 'The Following' na NY Comic Con. Foto: DivulgaçãoA equipe de 'The Following' na NY Comic Con. Foto: DivulgaçãoA equipe de 'The Following' na NY Comic Con. Foto: DivulgaçãoA equipe de 'The Following' na NY Comic Con. Foto: DivulgaçãoA equipe de 'The Following' na NY Comic Con. Foto: DivulgaçãoA equipe de 'The Following' na NY Comic Con. Foto: DivulgaçãoA equipe de 'The Following' na NY Comic Con. Foto: DivulgaçãoA equipe de 'The Following' na NY Comic Con. Foto: DivulgaçãoA equipe de 'The Following' na NY Comic Con. Foto: DivulgaçãoA equipe de 'The Following' na NY Comic Con. Foto: DivulgaçãoA equipe de 'The Following' na NY Comic Con. Foto: DivulgaçãoA equipe de 'The Following' na NY Comic Con. Foto: Divulgação

“O público fica dividido entre o fascínio e o terror por ele”, explicou Purefoy sobre o sucesso do personagem. Segundo ele, agora Carroll estará menos obcecado com Edgar Allan Poe, ampliando suas citações literárias.

Ryan Hardy (Kevin Bacon), afastado do FBI, também estará mudado, revelou o criador do seriado, Kevin Williamson. “Ele está diferente, dando aula, vivendo de forma mais saudável. Está começando a se abrir para as pessoas.” Mas tudo se transformará, claro, quando mais uma mulher (Connie Nielsen) estiver sob ameaça de Joe Carroll. 

"Person of Interest"

Já em “Person of Interest”, cuja terceira temporada acaba de estrear nos Estados Unidos, a novidade é que a detetive Joss Carter (Taraji P. Henson) não está mais sozinha como representante do sexo feminino.

Siga o iG Cultura no Twitter

Amy Acker (no papel de Root) e Sarah Shahi (como Samantha Shaw) foram promovidas ao elenco principal. Como Harold Finch (Michael Emerson), Root se comunica com “a máquina”, o sistema que espiona a vida dos cidadãos e prevê atos violentos.

Shaw era uma assassina a mando do governo, agora aliada de Finch e Reese (Jim Caviezel), o agente especial responsável por prevenir os tais crimes antevistos pela máquina. “Estamos assistindo ao despertar das mulheres também no entretenimento”, disse Sarah Shahi durante a convenção em Nova York. “É maravilhoso poder interpretar papéis femininos fortes e complexos.”

"Mob City"

O público da New York Comic Con também pôde assistir aos 18 minutos iniciais do primeiro episódio de “Mob City”, criada pelo mesmo Frank Darabont que levou para a televisão os quadrinhos “Walking Dead”.

A série tem seis episódios e estreia na TNT americana em dezembro (sem data confirmada no Brasil), que vai exibi-la de dois em dois capítulos.

Estilosa, “Mob City” se passa em 1947 e mostra o embate entre polícia e mafiosos em Los Angeles. Edward Burns interpreta o lendário Bugsy Siegel, enquanto Robert Knepper faz o mafioso Syd, e Milo Ventimiglia, Ned Stax, um advogado aliado com o crime.

Segundo os atores, a principal razão para estarem na série é poder trabalhar com Frank Darabont, diretor de “Um Sonho de Liberdade”. “‘Mob City’ não tem mocinhos e bandidos, mas vários tons de cinza”, brincou Ventimiglia. Jon Bernthal, que viveu Shane em “Walking Dead”, agora é o policial Jon Teague.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas