Ópera da Cidade de Nova York entra com pedido de concordata

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Empresa não conseguiu levantar recursos suficientes para ficar aberta e fez solicitação no valor de R$ 12,4 milhões

Reuters

A Ópera da Cidade de Nova York entrou com pedido de concordata nesta quinta-feira (3) depois de anunciar no começo da semana que não havia conseguido levantar recursos suficientes para permanecer aberta e, por isso, teria de fechar as portas.

Um pedido urgente de dinheiro feito pela empresa, criada há 70 anos e chamada de "A Ópera do Povo", conseguiu arrecadar somente US$ 2 milhões (R$ 4,4 milhões) dos US$ 7 milhões (R$ 15,4 milhões) estimados para cobrir suas necessidades até o fim de setembro.

Divulgação
Imagem do espetáculo 'Anna Nicole', a última da Ópera da Cidade de Nova York

Citando rendimentos em declínio num período de sete anos, a companhia de ópera informou nos documentos entregues à Justiça nesta quinta-feira que havia cancelado a atual temporada e "não pretende continuar produzindo temporadas de ópera no futuro".

Leia também: Sem dinheiro, Ópera da Cidade de Nova York fecha as portas após 70 anos

"Na ausência de uma mudança drástica nas circunstâncias, uma outra instituição educacional ou cultural com interesse em ser parceira ou adotar a NYC Opera, ou um miraculoso aumento de doações, a NYC Opera será forçada a conduzir uma redução ordenada de suas operações", diz o texto.

A Ópera listou suas responsabilidades nos documentos de pedido de concordata com base no Capítulo 11, num total de US$ 5,6 milhões (R$ 12,4 milhões).

Siga o iG Cultura no Twitter

Ainda nos documentos a empresa atribuiu seu declínio financeiro à "economia problemática, decréscimo de doações e aumento nas obrigações previdenciárias", bem como a um mercado de entretenimento lotado, competição com o Metropolitan Opera, e o declínio na educação artística, jornalismo sobre arte e arte na televisão e no rádio.

Leia tudo sobre: nova yorkóperaeua

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas