Marvel expande seus domínios para a televisão com "Agents of S.H.I.E.L.D."

Por Mariane Morisawa especial para o iG, de Los Angeles |

compartilhe

Tamanho do texto

Série dá continuidade aos acontecimentos do filme "Os Vingadores", com uma equipe de humanos que se une para lidar com deuses nórdicos, monstros verdes e outros

A Marvel não é um vilão das histórias em quadrinhos, mas parece seriamente disposta a conquistar o mundo. Depois de encerrar com louvor a chamada fase 1 de sua estratégia, com “Os Vingadores”, de Joss Whedon, arrecadando US$ 1,5 bilhão (cerca de R$ 3,3 bilhões) no mundo todo, agora é a hora da fase 2.

O processo começou com “Homem de Ferro 3”, continua com “Thor – O Mundo Sombrio” e expande os domínios da gigante dos super-heróis à televisão com “Agents of S.H.I.E.L.D.”, criado pelo próprio Whedon, em exibição no canal Sony todas as quintas, às 21h.

Imagem da série 'Agents of S.H.I.E.L.D.'. Foto: DivulgaçãoImagem da série 'Agents of S.H.I.E.L.D.'. Foto: DivulgaçãoImagem da série 'Agents of S.H.I.E.L.D.'. Foto: DivulgaçãoImagem da série 'Agents of S.H.I.E.L.D.'. Foto: DivulgaçãoImagem da série 'Agents of S.H.I.E.L.D.'. Foto: Divulgação

No seriado, o Agente Phil Coulson (Clark Gregg) está misteriosamente de volta, depois de ser bem morto pela lança de Loki (Tom Hiddleston) em “Os Vingadores”. Como isso aconteceu é um dos mistérios do programa.

Sua missão é juntar uma equipe para ajudar os humanos a lidar com tudo aquilo que aconteceu no filme: deuses nórdicos extraterrestres, monstros verdes, nada disso mais é novidade para os terráqueos.

Siga o iG Cultura no Twitter

A trupe é formada pelo super agente Grant Ward (Brett Dalton), que não tem muito traquejo social, a competentíssima Melinda May (Ming-na Wen), que sofre com um trauma do passado, Leo Fitz (Iain de Caestecker), especialista em engenharia e gadgets, Jemma Simmons (Elizabeth Henstridge), ás da bioquímica, e a hacker e ativista Skye (Chloe Bennet).

“Coulson é o cara perfeito para nos guiar nesse mundo maluco”, contou Whedon, que deixou o dia a dia do programa a cargo de seu irmão Jeb e da produtora Maurissa Tancharoen, já que está cuidando de “Os Vingadores 2”.

“Este seriado é sobre pessoas que não estão ocupadas salvando o mundo inteiro, que podem estar felizes salvando apenas uma pessoa”, disse o criador. “E isso é perfeito para a televisão.”

Divulgação
Imagem da série "Agents of S.H.I.E.L.D."

Claro que o agente vem com um pouco mais de glamour, dirigindo inclusive um Corvette vermelho voador. Para Gregg, o personagem conquistou o público porque, num universo em que todo mundo se veste de lycra e voa, é preciso alguém que diga: “Capa bonita, cara”. “Alguém tem de ver a graça naquilo tudo.”

Para Whedon, que ficou famoso na televisão com “Buffy, A Caça-Vampiros” e “Angel”, filmes, seriados, quadrinhos, tudo faz parte do mesmo universo.

“O que amo na Marvel é que há esse senso de maravilha, esperança, empolgação, absurdo e diversão”, contou. “Eu corria para as bancas todas as semanas para comprar os quadrinhos porque havia emoção e dor e empolgação, mas principalmente tinha diversão.”

Segundo ele, poder traduzir isso para novas gerações e para a sua própria não tem preço.

Leia tudo sobre: marvelagents of shield

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas