Canal Sony aposta na vergonha alheia em sua primeira série nacional “Agora Sim”

Por Gustavo Abreu e Luísa Pécora , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Com ares de “The Office”, atração mostra o dia a dia de uma agência de publicidade fadada ao fracasso e comandada por um chefe sem noção

Na TV a cabo, o canal Sony ficou conhecido por trazer ao Brasil grandes séries de comédia como “Seinfeld”, “Frasier”, “Will & Grace” e em anos recentes “30 Rock” e “Parks and Recreation”. Não à toa a primeira investida da emissora em uma produção nacional seja exatamente no campo das sitcoms. Apostando na vergonha alheia, situações absurdas e no patrão mais maluco que se pode imaginar, estreia no Brasil esta quinta-feira (26) “Agora Sim”.

Divulgação / Canal Sony
Nova série nacional "Agora Sim" estreia esta quinta-feira (26) no canal Sony

A série é centrada em Maurílio Bittar (Fábio Herford), um chefe amigão que passou bem longe da fila da noção e sonha em se tornar o maior e mais importante publicitário do país. Para chegar lá, ele conta com a ajuda do fiel escudeiro Jurandir (Augusto Madeira), da secretária periguete Dani (Larissa Machado), da gerente marrenta Rosamaria (Amanda Lyra) e da dupla nada criativa Serginho (Thiago Pinheiro) e Alan (Rodrigo Pandolfo).

Seria um timaço para uma start-up, tirando o fato de que ele não tem a menor ideia do que está fazendo, mas a certeza de que sim -- basicamente, é como se “The Office” conhecesse “Mad Men” em um bar, ficassem bêbados de caipirinha e tivessem um filho bastardo.

Divulgação / Canal Sony
Fábio Herford interpreta Maurílio Bittar, o chefe sem noção dono da agência Bitt

“Eles estão em alto-mar numa jangada, mas ele consegue mostrar que aquilo é um transatlântico”, falou ao iG o ator Fábio Herford sobre o protagonista, Maurílio Bittar.

O primeiro episódio mostra a Bitt Propaganda se instalando em sua nova sede, localizada em frente a uma das maiores agências do Brasil, mas em uma casinha, digamos, compacta. É lá que Bittar pretende respirar os ares do sucesso e quem sabe atrair uma nova clientela.

“[A série] se passa no mundo da publicidade, mas poderia ser qualquer outro”, explicou diretor João Daniel Tikhomiroff, durante a pré-estreia da série em São Paulo, no início do mês.

Por isso não vai ser difícil se identificar com algumas situações bizarras de “Agora Sim”, como a cena em que Bittar tenta se fazer de amigo íntimo de um respeitado publicitário mas, para isso, precisa dobrar uma recepcionista inflexível. “É uma série sobre pessoas, sobre emoções e sobre a vida de uma maneira muito irônica, divertida e bem humorada”, completou o diretor.

“Agora Sim” marca a parceria do canal Sony com a produtora Mixer, de Tikhomiroff, que no passado ficou conhecido por dirigir comerciais e trabalhar exatamente nesse universo da publicidade. “Convivi muito com esse meio. Conheci muitas Bitts”, brincou o diretor.

A ideia para a atração surgiu há cinco anos e chegou a ter um piloto gravado em 2009. "Começou como uma conversa com o Marcello [Serpa, publicitário] sobre fazer uma série em uma agência, que como qualquer ambiente de trabalho tem os conflitos, as paixões, a loucura, como uma grande família mesmo”, lembrou Tikhomiroff.

A chave para o projeto decolar, no entanto, veio com a sacada de mudar a agência para o prédio em frente à melhor agência do país. “Depois começamos a pensar em uma outra coisa: uma agência em que as coisas não dão certo, fraca, medíocre, mas que quer ser boa.”

Depois de dois anos de conversa entre a Sony no Brasil e nos Estados Unidos, “Agora Sim” foi aprovado e saiu do papel em parceria com a Ancine, com o apoio de R$ 270 mil por episódio, sendo R$ 3,5 milhões para a primeira temporada.

Tikhomiroff defende a série feita para a TV a cabo como uma ótima oportunidade de exercitar novos formatos audiovisuais. "O brasileiro gosta muito da dramaturgia do próprio país, o que é natural e acontece em todo lugar do mundo. E a TV fechada pode trazer um conteúdo mais segmentado, mais sofisticado do ponto de vista da linguagem."

Fábio Herford corrobora: "Acho que vamos conseguir imprimir um humor mais brasileiro nos seriados. São piadas brasileiras, com o nosso tempo e o nosso olhar.”

Divulgação / Canal Sony
"A série vai melhorando conforme os episódios vão passando", defende Herford

“A coisa vai enlouquecendo”

Como toda boa sitcom, a série acerta em cheio no elenco afiado e cenas bem conduzidas. “O ritmo só foi possível graças a essa química que houve entre os atores, equipe e direção”, apontou o ator Augusto Madeira, intérprete de Jurandir.

De acordo com Herford, no decorrer da primeira temporada os acontecimentos vão ficando cada vez mais estranhos e isso se deve ao entrosamento do elenco durante as cinco semanas de gravação. “A série vai melhorando conforme os episódios vão passando”, disse. “A coisa vai enlouquecendo muito.”

Para a atriz Mayara Constantino, que interpreta a estagiária Marina, “Agora Sim” não se parece em nada com outros trabalhos que fez na TV. "Os personagens estão sempre na corda bamba, sob pressão. A graça vem das situações em que são colocados, como agradar um cliente que só gosta de ideias ruins ou atingir metas."

A primeira temporada de “Agora Sim” terá treze episódios, exibidos sempre às quintas-feiras, a partir das 22h. Além do elenco central, a série conta com participações especiais de nomes como Moacyr Franco, Rafael Infante e Luis Lobianco, de Porta dos Fundos, e Junno Andrade. A segunda temporada já está no horizonte, mas depende dos resultados da estreante.

Leia tudo sobre: séries de tvcanal sonyagora simtelevisãomaislidas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas