Bienal de fotografia no MASP: 35 artistas exibem suas obras até 3 de novembro

Por Ana Ribeiro |

compartilhe

Tamanho do texto

Na primeira edição do evento, fotos conversam com outras tecnologias e expressões artísticas, como a pintura

Obra de Dora Longo Bahia da série exposta na Bienal de Fotos do MASP. Foto: Dora Longo BahiaUma das 10 imagens da coleção 'Sufocamentos', do fotógrafo mineiro Pedro David. Foto: ReproduçãoA instalação 'Tombo (Lista)', de Rochelle Costi, tem imagens guardadas dentro dos armários de ferro. Foto: ReproduçãoMarcelo Tinoco altera imagens para criar cenas oníricas de cidades e do campo. Foto: ReproduçãoA sérvia radicada em NY Marina Abramovic e sua imagem de automutilação. Foto: Reprodução'Sobre São Paulo', presença da carioca radicada em SP Claudia Jaguaribe na Bienal. Foto: ReproduçãoNa interessante video-instalação do colombiano Carlos Muñoz, o retrato não se completa porque o traço em água seca durante o desenho. Foto: ReproduçãoParte de tríptico do paraense Luiz Braga, que explora o fantástico e os mistérios da floresta. Foto: Reprodução

Logo na entrada da exposição, um díptico da artista plástica paulistana Dora Longo Bahia mostra imagens de conflitos de duas épocas diferentes impressas em lona, manchadas por uma grande borra de tinta vermelha, que escorre pelas paredes e respinga no chão. A primeira imagem é a reprodução de uma tela de Goya, "Os Fuzilamentos de Três de Maio de 1808", de 1814. A segunda é uma pintura baseada em foto de fuzilamento ocorrido na Guerra do Golfo, no começo da década de 1990.

A tragédia, e a mancha do que seria o sangue das vítimas,  une as duas situações históricas que aconteceram num intervalo de 100 anos. Pronto, você começou a ver a FotoBienalMASP 2013, primeira edição da bienal de fotografia do museu, que está dividida em três andares da construção e fica em cartaz até dia 3 de novembro.

Ao todo, são 35 artistas mostrando suas obras. Alguns deles estavam presentes na SP Arte Foto, maior feira de fotografia do Brasil, que reuniu 25 galerias nacionais no Shopping JK Iguatemi de 21 a 25 de agosto.

Em alguns casos, os trabalhos que estavam á venda na SP Arte Foto são exatamente os mesmos escolhidos para a Bienal, que teve curadoria de Ricardo Resende. Tem alguma coisa intrigrante em ver uma exposição em que as obras de arte são possíveis - você faz com (uma certa) realidade aquele exercício de imaginar como a peça ficaria naquela parede da sua casa, e como seria conviver com ela.

Algumas coisas, como a obra de Dora Longo Bahia, não são exatamente de levar para casa. É o caso também de duas fotos da artista performática sérvia radicada em NY Marina Abramovic, uma dela mesma no meio de paisagem árida no serrado brasileiro, onde o céu entremeado de azul e nuvens é o único movimento à vista, e outra dela mesma contra uma parede coberta de rachaduras e segurando uma vela acesa que vai queimando o seu dedo.  

Reprodução
Marina Abramovic e uma das obras expostas na FotoBienalMASP 2013

No segundo andar do MASP, Marina e Dora dividem o espaço com outros 15 artistas, entre eles Luiz Braga, Marcelo Tinoco e Rochelle Costi. Braga, artista de Belém do Pará, estava com a mesma obra, uma edição de três de um tríptico que retrata uma menina suja de carvão na ilha do Marajó, que foi vendida por R$ 45.000,00 na SP Arte. Ele é representado pela galeria Leme.

Marcelo Tinoco, da galeria Fotospot, também estava nas duas mostras, com trabalhos diferentes. Sua colaboração para a FotoBienalMASP são cenas oníricas do campo e de cidades pelo mundo que foram assumidamente manipuladas e misturam realidade e ficção para criar uma situação artificial, quase de fantasia. 

O fotógrafo mineiro Pedro David, da Galeria da Gávea, também estava representado pela mesma obra nas duas mostras. Se trata de "Sufocamento", ensaio de 10 fotos de árvores nativas "presas" por uma sequência de eucaliptos. "Sempre me impressionei muito com o eucalipto, com o avanço dessa planta, a secura que ela gera. E aí vi esses exemplares de árvores nativas dentro dos campos de eucalipto. É tudo o que eu sempre quis dizer sobre o eucalipto", conta ele. Na SP Arte Foto, um exemplar de uma edição de 5 de "Sufocamento" foi vendida por valor que o autor não autorizou divulgar.

O trabalho de Rochelle Costi retrata documentos antigos de imóveis de São Paulo, arquivados e catalogados em fichários organizados em armários de ferro. Além das fotos emolduradas nas paredes, imagens estão também dentro dos próprios armários e podem ser observadas por olhos mágicos, proporcionando um momento interativo na mostra.

Uma das coisas mais interessantes da exposição, que está espalhada ainda pelo andar -1, o mesmo do café e da loja do museu, e pela biblioteca, onde estão as obras de Claudia Jaguaribe e de Rosângela Rennó, é a video-instalação "Projeto para um memorial", do colombiano Oscar Muñoz. Trata-se de retratos de desaparecidos políticos feitos em água sobre pedra, em que ele nunca consegue terminar o desenho, já que quando está finalizando algum detalhe, os primeiros traços já se apagaram.

Vale a visita. E, uma vez no MASP, não deixe de ver também as exposições de Lucian Freud, "Corpos e Rostos", até dia 13 de outubro; "Deuses e Madonas - A Arte do Sagrado", com 40 obras de mestres dos séculos 14 ao 19, e "Romantismo: A Arte do Entusiasmo", com obras de Bosch, El Greco, Monet, Renoir, Van Gogh, Dalí, León Ferrari e Tomie Ohtake, entre outros, ambas sem previsão de encerramento. 


  • Serviço:
  • MASP - Av. Paulista, 1578
  • Telefone (55 - 11) 3251-5644 / Fax (55 - 11) 3284-0574
  • Horários:
  • Segunda-feira: fechado
  • De terça a domingo: das 10h às 18h (bilheteria aberta até 17h30)
  • Quinta-feira: das 10h às 20h (bilheteria até 19h30).
  • oda terça-feira a entrada no MASP é gratuita a todos os visitantes.

 


   


 


   

Leia tudo sobre: bienal do maspfotografiaexposição

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas