"Sexo é questão de saúde", diz Sheron Menezzes sobre comédia que estreia em SP

Por Susan Souza , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Monogamia é discutida em espetáculo que faz temporada no Teatro Gazeta

Divulgação
Adão, Eva e mais uns caras

"(A peça) é para a pessoa que trabalhou a semana inteira nesse mundo cheio de estresse sair da realidade e se divertir, é entretenimento mesmo", define ao iG o ator Danilo Sacramento, que interpreta o engenheiro Guilherme na comédia "Adão, Eva e Mais uns Caras". A peça estreia na sexta-feira (23) no Teatro Gazeta, em São Paulo.

O texto de Romeu Di Sessa trata de cinco náufragos em uma ilha deserta. A nutricionista Eva é mulher do advogado Miguel. Os outros três personagens - o arquiteto Mauricio (Renato Góes), o engenheiro Guilherme e o psiquiatra Adriano (Allan Souza Lima) - são homens que, com o passar do tempo presos na ilha, tornam-se cada vez mais obcecados pela ideia de ficar com Eva.

Siga o iG Cultura no Twitter

Peça "Adão, Eva e mais uns caras". Foto: DivulgaçãoPeça "Adão, Eva e mais uns caras". Foto: DivulgaçãoPeça "Adão, Eva e mais uns caras". Foto: DivulgaçãoPeça "Adão, Eva e mais uns caras". Foto: DivulgaçãoPeça "Adão, Eva e mais uns caras". Foto: DivulgaçãoPeça "Adão, Eva e mais uns caras". Foto: Divulgação

"As necessidades vão aflorando e a brincadeira é essa de convencer o Miguel para que (os três caras) possam ficar com a Eva. Eles perderam a esperança de sair da ilha e querem dar um jeito de dividí-la com o marido", explica Danilo Sacramento.

"(No texto) há um fato que as pessoas não param para pensar, que o sexo é uma questão de saúde, é uma necessidade física", conta aos risos a atriz Sheron Menezzes. Na pele da única mulher da ilha deserta, Eva e o marido Miguel precisam decidir se vão ou não abrir mão da monogamia para o "bem" dos amigos.

"Por convenção, deveríamos ter uma relação monogâmica, mas na peça tem a frase 'ninguém precisa ter essa moral, só tem a gente aqui'. Se estivéssemos na cidade, teriam as outras pessoas, lá na ilha, não", explica a atriz sobre a postura que poderia ser abordada na ilha onde os personagens vivem por quase três anos bem longe dos olhos, e das críticas, dos outros.

A direção é de Ernesto Piccolo, que trabalhou para deixar o texto, além de engraçado, provocativo sobre a questão da "posse nos relacionamentos". "É quando você se põe em um limite, ainda mais para homens, em uma ilha que tem uma mulher casada. Como fazer para sobreviver a isso nessa sociedade moderna? Brincamos com esses valores de maneira despretensiosa e fazemos uma reflexão sobre eles", conta o diretor.

"Adão, Eva e Mais uns Caras"
Teatro Gazeta (av. Paulista, 900, térreo, Bela Vista - São Paulo)
horários: sextas, às 23h, sábados, às 20h, domingos, às 18h
ingressos: sexta e domingo, R$ 60, sábado, R$ 70

Leia tudo sobre: teatropeçaculturaigspAdão Eva e mais uns caras

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas