Compositor usa marretas para fazer acordes com a estrutura do monumento. O artista já gravo CD com sons retirados da ponte Hudson

Joseph Bertolozzi está gravando músicas usando a estrutura da Torre Eiffel
Reuters
Joseph Bertolozzi está gravando músicas usando a estrutura da Torre Eiffel

Reuters

Após mais de um século como protagonista de canções, desenhos e cenas de cinema, a Torre Eiffel falará por sua própria voz, tornando-se um instrumento para uma peça intitulada "Tower Music", do compositor norte-americano Joseph Bertolozzi.

Carregando marretas de borracha, baquetas e até uma grande tábua envolta em lã de carneiro, Bertolozzi se desloca pela torre de 324 metros de altura, batendo nas superfícies com intensidade variada, e gravando os sons produzidos.

A ideia é entremeá-los de modo a formar acordes e melodias sobre uma base percussiva. Desde 27 de maio, mais de 2.000 amostras sonoras já foram colhidas em corrimãos, painéis e vigas da estrutura de ferro.

Bertolozzi, de 54 anos, já lançou um CD chamado "Bridge Music" (música da ponte), só com sons colhidos na estrutura da ponte pênsil Mid-Hudson, em Nova York, onde ele vive.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.