Morre atriz italiana Franca Rame, mulher e musa do dramaturgo Dario Fo

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Grande nome do teatro, ela tinha 84 anos e mais de 50 de carreira; com o marido, apresentou sátiras políticas

Reuters

Reprodução
A atriz italiana Franca Rame

A atriz italiana Franca Rame, mulher e musa do dramaturgo ganhador do Nobel de Literatura Dario Fo, morreu nesta quarta-feira, aos 84 anos, informou a companhia teatral do casal.

Siga o iG Cultura no Twitter

Em mais de meio século de carreira, Rame e Fo cativaram os italianos com suas sátiras políticas apresentadas no teatro, no rádio e na televisão.

Rame, que se casou com Fo em 1954, colaborou com muitas peças dele, e era sua principal protagonista feminina. A atriz havia sofrido um derrame no ano passado, mas a causa da morte não foi revelada.

Nascida em uma família ligada ao teatro, Rame tinha apenas oito dias de idade quando estreou sobre o palco, nos braços da mãe.

A peça mais famosa do casal, "Morte Acidental de Um Anarquista", desafiou as instituições italianas na década de 1970 ao acusar abertamente a polícia de atirar o anarquista Giuseppe Pinelli do quarto andar de uma delegacia de polícia, e depois alegar que se tratou de um suicídio.

Em outra peça, "O Mistério Bufo", a dupla recontava os Evangelhos por meio de uma série de farsas, uma impertinência que foi criticada pelo Vaticano.

Feminista e ativista de esquerda, Rame foi vítima de um brutal estupro coletivo em 1973, que Fo atribuiu a militantes fascistas dispostos a humilhá-lo.

Ao receber o Nobel, em 1997, Fo o dedicou à mulher. Ela foi eleita senadora em 2006, mas renunciou dois anos depois, por discordar das políticas do governo de centro-esquerda da época.

Leia tudo sobre: franca ramedario fo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas