Clarice Lispetor inspira "Toro Negro", espetáculo inédito de dança flamenca

Por Susan Souza , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Peça que estreia nesta quinta-feira (4) leva o flamenco dos tablados intimistas ao grande público; texto “Espanha” foi a inspiração para criação da coreografia inédita no Brasil

Sob uma forte luz vermelha, o casal de bailarinos, com seu figurino igualmente vermelho, interrompe o silêncio para mostrar passos sincronizados de dança flamenca. Estes movimentos abrem o espetáculo "Toro Negro", inspirado no texto “Espanha”, escrito por Clarice Lispector nos anos 70, que ganha sua forma teatral pela primeira vez no Brasil. Em cartaz no teatro Itália, a crônica da escritora pode ser admirada através da interpretação dos bailaores – termo usado para os bailarinos de flamenco – Miguel Alonso e Carolina Zanforlin. Ao alternar entre movimentos fortes e delicados, regidos pela guitarra afiada e canto intenso com influências da Andaluzia, a dança flamenca traz ainda mais profundidade às palavras da escritora.

Veja abaixo o vídeo que o iG fez, com exclusividade, na pré-estreia da peça:

"Há também o canto impaciente que a voz apenas não exprime: então um sapateado nervoso e firme o entrecorta, o olé que o interrompe cada instante não é mais amém, é incitamento, é touro negro", descreve Clarice em "Espanha". As palavras tocaram a bailaora e atriz Carolina Zanforlin, que começou a praticar a dança aos 11 anos e conheceu a crônica na época da faculdade. "Os anos foram passando, eu sempre relia esse texto e pensava: 'como que ninguém vai fazer nada com ele? Como ninguém nunca montou esse texto?", contou a artista ao iG. Carolina levou dois anos para concretizar o projeto, que teve incentivo fiscal do Proac (programa de ação cultural do Estado de São Paulo).

A crônica foi usada como dramaturgia para o espetáculo, que foi construído apenas com a linguagem corporal e costurado por cinco músicos, que tocam ao vivo durante os 60 minutos de peça. "A gente usou exatamente o que a Clarice fala das mãos, que passam pela cabeça, o golpe dos pés. O texto é uma inspiração pura. A gente pensou se teria fala, mas isso enfraqueceria a dança", explicou a diretora Débora Dubois, que confessou estar em fase de aprendizado sobre o flamenco. "Eles são cheios de códigos, não consegui aprender tudo então me sinto entrando nesse universo que é mais complexo do que parece".

Espetáculo flamenco "Toro Negro" tem inspiração em texto de Clarice Lispector . Foto: Eduardo Sardinha/DivulgaçãoEspetáculo flamenco "Toro Negro" tem inspiração em texto de Clarice Lispector . Foto: Eduardo Sardinha/DivulgaçãoEspetáculo flamenco "Toro Negro" tem inspiração em texto de Clarice Lispector . Foto: Eduardo Sardinha/DivulgaçãoEspetáculo flamenco "Toro Negro" tem inspiração em texto de Clarice Lispector . Foto: Eduardo Sardinha/DivulgaçãoEspetáculo flamenco "Toro Negro" tem inspiração em texto de Clarice Lispector . Foto: Eduardo Sardinha/DivulgaçãoEspetáculo flamenco "Toro Negro" tem inspiração em texto de Clarice Lispector . Foto: Eduardo Sardinha/DivulgaçãoEspetáculo flamenco "Toro Negro" tem inspiração em texto de Clarice Lispector . Foto: Eduardo Sardinha/DivulgaçãoEspetáculo flamenco "Toro Negro" tem inspiração em texto de Clarice Lispector . Foto: Eduardo Sardinha/DivulgaçãoEspetáculo flamenco "Toro Negro" tem inspiração em texto de Clarice Lispector . Foto: Eduardo Sardinha/DivulgaçãoEspetáculo flamenco "Toro Negro" tem inspiração em texto de Clarice Lispector . Foto: Eduardo Sardinha/Divulgação

Em "Espanha", a escritora faz muitas analogias sobre o casal que se alterna entre a demonstração do amor e o duelo, sempre com intensidade assim como na dança. "Ela fala do feminino e masculino e trabalha oposições. A mulher flamenca é quase um homem. Clarice escreveu que se um deles morrer, o outro não sobrevive. Tentamos colocar isso na peça", conta Carolina, que teve a ajuda da experiente bailaora espanhola La Truco, sua professora na escola Amor de Dios, em Madri, para montar a coreografia de "Toro Negro".

Durante a fase mais intensa de ensaios, Truco precisou imobilizar um braço, o que impossibilitou que ela terminasse o trabalho. Com isso, os bailaores tiveram de coreografar mais do que o previsto. "Demorou para eu entender o que ela queria dizer, por causa do braço, mas foi bom porque disso surgiu a coreografia da morte, nós conversamos muito e a presença dela continuou", explicou Carolina. La Truco falou que a inspiração em um texto estrangeiro para ela não dificultou o trabalho: "A linguagem do flamenco faz com que todos o compreendam. O flamenco é universal. A Carol me contou a história, disse o que queria e eu tentei ajudar com o que pude".

O bailarino cubano Miguel Alonso, que ficou conhecido por seu trabalho com o Balé Nacional de Cuba, está há 12 anos no Brasil. Ele destaca a oportunidade de vivenciar o teatro flamenco no País pela primeira vez. "Em Cuba, a gente sempre trabalhou em teatros com esse tipo de qualidade que a gente está trabalhando em "Toro Negro". É minha primeira vez em teatro no Brasil e é como se eu estivesse na minha terra de novo. É muito emocionante". Miguel, assim como Carolina e todos os outros bailaores profissionais no Brasil, estão habituados a dançar em tablados intimistas ou como atrações de restaurantes. Em teatro brasileiro, nos moldes de grandes espetáculos espanhois, "Toro Negro" inova.

"O flamenco agora entrou no circuito dos grandes teatros e saiu dos tablados. Só falta o público conhecer. Ficar em cartaz, artisticamente, para mim é o mais importante", conclui Carolina, que pela primeira vez vive esta experiência de palco com a dança em uma rotina diferente do tablado, que é regado a improvisos. "No tablado você esquece ou sai frustrado porque você não vai repetir o que você fez, que foi um improviso. No teatro, tem essa chance de evoluir na dança. Cada dia será um espetáculo e isso me deixa muito empolgada."

"Toro Negro"

Temporada: de 04/4 a 09/5 no Teatro Itália (av. Ipiranga, 344)
Dias e horários: quartas e quintas, às 21h
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)
Vendas pelo telefone: 3255-1979 e pelo site www.compreingressos.com

Leia tudo sobre: Toro NegroFlamencoTeatro Itáliaigspespetáculopeça

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas