Monumentos de São Paulo viram coleção de miniaturas

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Escultor Alexandres Leonato faz pequenas representações de marcos da cidade como o Edifício Altino Arantes e o Estádio do Pacaembu

Agência Estado

Agência Estado

Reprodução / Facebook
Miniatura do Edifício Altino Arantes feita por Alexandre Leonato

Com 161,22 metros, o Edifício Altino Arantes - o Banespa, no centro - é o terceiro mais alto de São Paulo. No estúdio do escultor Alexandre Leonato, de 56 anos, porém, o prédio não chega a 5 cm de altura.

O artista é o primeiro a fazer uma coleção comercial de miniaturas de monumentos e prédios da cidade.

O Museu de Arte de São Paulo (Masp), o Pátio do Colégio e o Estádio do Pacaembu estão lá, entre tantas outras reduções construídas para divulgar a arte que está nas ruas da cidade. "Sempre que viajo trago miniaturas dos principais pontos.

Siga o iG Cultura no Twitter

Tenho a Torre Eiffel, de Paris, e a Estátua da Liberdade, de Nova York, por exemplo, mas quem vinha a São Paulo não tinha o que levar", diz Leonato, que lançou oficialmente no ano passado a coleção Ícones, resultado de um hobby de escultor.

Sair pela cidade reparando em pequenos detalhes de prédios, postes de luz e até de esguichos de fontes é um de seus passeios favoritos. "Tudo que eu olho imagino como ficaria em miniatura. Virou um vício."

Foi assim que, há sete anos, ele resolveu bater à porta de Sandra Brecheret. Nas mãos trazia o Monumento às Bandeiras - o popular "empurra-empurra" do Ibirapuera - feito pelo pai dela, o italiano Victor Brecheret, e inaugurado em 1953.

"Fiquei muito emocionada quando vi a peça. A miniatura era perfeita", diz Sandra que deu a autorização para que ele a comercializasse. "Achei a iniciativa muito boa. É uma forma de divulgar a arte paulistana clássica no mundo."

Leonato foi o primeiro e único artista que procurou Sandra com esse objetivo.

Reprodução / Facebook
Miniatura do Monumentos às Bandeiras feita por Alexandre Leonato

Foi a paixão pela São Paulo antiga que levou a paulistana Maria Clara Fragoso, de 59 anos, a pesquisar obras sacras que já desapareceram - ou que foram reformadas e perderam as características originais.

Desde 1977, ela faz miniaturas em cerâmica como uma forma de preservar a história. É o caso da Igreja Nossa Senhora dos Remédios, originalmente levantada onde hoje é a Praça João Mendes, antigo Largo da Cadeia, no centro. No século 19, ficava perto do Largo do Pelourinho. Hoje, a igreja fica no Cambuci.

Maria Clara faz peças artesanais que estão à venda em locais como o Museu da Escultura em São Paulo (MuBE), por R$ 200.

As miniaturas de Leonato são fabricadas em escala. O Monumento às Bandeiras custa R$ 42 e o Estádio do Pacaembu, R$ 98,90 - à venda no estádio, em museus e livrarias da cidade.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo

Leia tudo sobre: igspsão paulominiaturasmonumentoshistória

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas