Retratos de Mao feitos por Andy Warhol não poderão ser vistos na China

Serigrafias foram retiradas da exposição, que marca os 25 anos da morte do artista

AFP |

AFP

Reprodução
Obra 'Mao Baleado', de Andy Warhol

Os famosos retratos de Mao criados por Andy Warhol, que figuravam em uma grande retrospectiva dedicada ao artista que lançou o movimento pop art, não serão expostos no próximo ano em Pequim e Xangai, anunciaram nesta quarta-feira (dia 19) os organizadores da mostra.

A exposição "The Andy Warhol: 15 minutes Eternal exhibition", pelo 25º aniversário de sua morte, reúne mais de 300 obras do artista, entre as quais havia 10 retratos em serigrafia e acrílico de Mao Tsé-Tung.

Siga o iG Cultura no Twitter

O museu Andy Warhol de Pittsburgh, na Pensilvânia (leste dos Estados Unidos), lamentou que os retratos tenham sido retirados da exposição, mas não explicou a razão da mudança.

Leia também: Coleção de Warhol leiloada arrecada R$ 35,2 milhões

"Esperávamos incluir nossas pinturas de Mao na exposição para mostrar o grande interesse de Warhol pela cultura chinesa. No entanto, entendemos que algumas imagens nem sempre podem ser mostradas na China", explicou o museu em um comunicado. Não foi possível entrar em contato com os serviços culturais das cidades de Pequim e Xangai.

Os retratos de Mao, realizados em 1972 e 1973, marcaram o retorno à pintura de Andy Warhol (1927-1987) e podem ter sido inspirados pela visita histórica do presidente americano Richard Nixon à China em 1972 e seu encontro com o pai da Revolução Cultural.

Os retratos de Mao podem ser vistos em Hong Kong, um território semiautônomo no sul da China, até março de 2013.

    Leia tudo sobre: andy warholmao tsé-tungarte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG