Avião com o corpo de Oscar Niemeyer chega ao Rio de Janeiro

O velório ao público está previsto para acontecer até as 15h desta sexta-feira. O enterro está marcado para as 17h, no Cemitério São João Batista, em Botafogo

Agência Brasil | - Atualizada às

Agência Brasil

O avião da Força Aérea Brasileira (FAB) com o corpo do arquiteto Oscar Niemeyer  aterrissou às 22h04 no Aeroporto Santos Dumont. Um carro funerário já aguardava na pista. O corpo foi transportado até o veículo por militares da Aeronáutica do 3º Comando Aéreo Regional (3º Comar). 

TUDO SOBRE OSCAR NIEMEYER

Do aeroporto, o carro foi escoltado por oito motociclistas da Guarda Municipal até o Palácio da Cidade, em Botafogo , na zona sul. O velório será aberto ao público a partir das 8h desta sexta-feira.

Durante a noite, apenas parentes e amigos próximos tiveram acesso ao local. O corpo retornou de Brasília, onde foi velado no Palácio do Planalto , logo depois das 22h de quinta-feira, em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB).

Divulgação/Prefeitura do Rio
Corpo de Niemeyer chega escoltado ao Rio de Janeiro na noite desta quinta-feira (06)


Veja: Enfermeiro canta samba composto com Oscar Niemeyer
Entrevista: "A vida é um sopro", diz Oscar Niemeyer
Veja: A trajetória profissional e política do homem que revolucionou a arquitetura
Opinião: Oscar Niemeyer: o maior do século 20
Infográfico: Niemeyer em 24 obras
Análise: Oscar Niemeyer: a redescoberta da curva na arquitetura
Repercussão: Brasil lamenta morte; Dilma diz que País "perdeu um dos seus gênios"
Frases: 'Para mim o importante é a vida, conhecer as pessoas, haver solidariedade'
Opinião: Niemeyer fez do modernismo identidade brasileira, diz crítico americano
Obra: Especialistas veem 'esgotamento' criativo em obras de Niemeyer

O neto de Niemeyer, Carlos Oscar Niemeyer Magalhães, que trabalhou durante 13 anos no escritório do arquiteto, disse que a família ficou muito emocionada com o carinho das pessoas durante o velório em Brasília. Segundo ele, o avô lhe ensinou importantes lições de vida.

“Ele sempre dizia três coisa para a gente. A vida é um segundo, vamos viver a vida bem vivida, com os amigos e com a família. O mundo é injusto, temos que modificá-lo e fazer aquilo que a gente puder fazer de melhor para ajudar a corrigir as desigualdades sociais. E a outra coisa que ele dizia é que a palavra mais bonita é solidariedade.”

Como administrador do escritório do avô, Carlos contou que nem sempre era fácil gerir as finanças: “Como comunista, a ligação dele com o dinheiro era nenhuma.”

O neto justificou a escolha da família em fazer o enterro no Rio pelo amor que ele tinha pela cidade. “Ele era apaixonado pelo Rio de Janeiro, apesar de ter projetado Brasília e gostar muito de lá. Mas o Rio era a cidade dele.”

O velório ao público está previsto para ocorrer até as 15h. Em seguida, será rezada uma missa para os parentes e amigos. O enterro de Niemeyer está marcado para 17h, no Cemitério São João Batista, em Botafogo.

    Leia tudo sobre: Oscar Niemeyer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG