Mostra em Paris destaca presença da moda no Impressionismo

Exposição trata do "papel determinante da moda" na arte de pintores como Manet e Renoir

Reuters |

Reuters

Divulgação
"A Parisiense", de Claude Manet

As pinceladas horizontais ousadas do retrato feminino de Manet de 1876, "A Parisiense", transmitem a energia bruta de um novo estilo de pintura que surpreendeu há bem mais de um século com seu foco na luz, a aparência de um esboço e os temas contemporâneos.

Mas a estrela do quadro em óleo em tamanho natural é um vestido preto de tafetá de seda que destaca o talento do pintor - e serve de ponto de partida para a exposição "Impressionismo e Moda", que será exibida até janeiro no Museu d'Orsay, em Paris.

A exposição reúne mais de 60 grandes obras de 1865 a 1885, quando os pintores franceses de Monet e Renoir a Degas e Caillebotte encontraram inspiração na vida cotidiana dentro e em torno de Paris, na época a capital mundial do estilo e do progresso científico.

A mostra - organizada em conjunto com o Metropolitan Museum of Art de Nova York e o Instituto de Arte de Chicago, e patrocinada pelo grupo de luxo LVMH - considera-se a primeira dedicada ao "papel determinante da moda" na arte dos Impressionistas.

Além de pinturas, a exposição apresenta dezenas de manequins em vestidos com corselete apertado, revistas de moda da época, bem como centenas de fotos em sépia de mulheres burguesas posando em seus melhores trajes, feitas por Eugene Disderi.

Getty Images
A pintura "The Theatre Box"

Siga o iG Cultura Twitter

"A invenção, o dinamismo e o encanto fugaz da moda não poderia deixar de seduzir uma geração de artistas e escritores ansiosos para registrar as palpitações da vida moderna em sua diversidade infinita", escreveu Guy Cogeval, presidente do Museu d'Orsay, no catálogo da exposição.

Também estará exposta a obra "The Theatre Box" - um empréstimo da Galeria Courtauld de Londres - em que uma mulher, resplandecente em um vestido listrado preto e branco acompanhado de colares de pérolas, posa com seus óculos de ópera, bem ciente de que está sendo vista.

A variedade de texturas em seu traje ofereceu ao pintor muitas oportunidades para exibir sua maestria técnica.

Os Impressionistas, que evitaram os temas idealizados do romantismo, escolheram retratar os seus temas em cenários do dia a dia, nas mesas dos cafés, passeando nas novas grandes avenidas de Paris, em bailes, em frente ao piano, ou no parque.

Duas das mulheres do colossal "Luncheon on the Grass", de Claude Monet, estão de costas para o pintor, oferecendo-nos uma visão melhor de suas crinolinas completas e caudas, e replicando uma pose popular nas ilustrações de moda.

Leia também: Mostra sobre impressionismo bate marca de 100 mil visitantes em SP

Divulgação
A pintura "Luncheon on the Grass" (1865), de Claude Monet

A paisagem em mudança de Paris na segunda metade do século ofereceu cenários suficientes para os Impressionistas, conforme os bairros antigos deram lugar a novas avenidas reluzentes - as passarelas da Belle Epoque, onde as mulheres da sociedade podiam desfilar seus melhores trajes.

"A Varanda", de Manet, mostra um homem bem vestido e duas mulheres de branco, uma delas a pintora Berthe Moriset, que vigia os transeuntes de cima, enquanto eles, por sua vez, são observados.

    Leia tudo sobre: Impressionismopinturamoda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG