Mostra "O Triunfo do Detalhe" agrupa pinturas de Rembrandt, Goya, Tiziano e Velázquez, entre outros artistas

Agência Brasil

'Autorretrato com barba nascente' (1635), pintado por Rembrandt, um dos destaques
Divulgação
'Autorretrato com barba nascente' (1635), pintado por Rembrandt, um dos destaques

Houve um período da arte ocidental em que a capacidade de retratar detalhes determinava o valor das obras e dos pintores, explica o curador do Museu de Arte de São Paulo (Masp), Teixeira Coelho. Sobre esse tempo, que vai do século 16 ao começo do século 19, foi organizada a exposição "O Triunfo do Detalhe", aberta nesta sexta-feira (2) no museu paulistano.

Siga o iG Cultura no Twitter

São 15 obras do próprio acervo do Masp que incluem nomes como Rembrandt, Tiziano, Velázquez e Goya. Todas têm em comum a valorização dos detalhes. “O detalhe é na verdade uma espécie de partida, a escolha, a perspectiva, a estrutura central que organiza o trabalho”, explica Teixeira Coelho.

Entre os destaques da exposição está o autorretrato de Rembrandt Harmensz van Rijn, pintado em 1635. Na obra o pintor retrata-se encarando o espectador. A intensidade dos olhos serve para evidenciar que o principal tema do artista é o próprio mundo interior.

A exposição espalha as poucas obras da mostra por uma ampla galeria do museu. A disposição defende uma forma diferente de apreciar a arte. “A ideia é chamar a atenção das pessoas para que a quantidade não é documento em arte e que as pessoas deveriam ir aos museus para ver poucas obras por vez, mas verem em profundidade”, diz o curador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.