Homem que danificou quadro de Rothko é preso na Inglaterra

Identificado como Vladimir Umanets, 26 anos, vândalo chama ação de "declaração artística"

iG São Paulo com agências |

Reprodução
Obra de Mark Rothko atacada em Londres

Um homem foi preso na noite desta segunda-feira (8) por danificar um mural do pintor russo Mark Rothko no museu Tate Modern de Londres. Identificado pela imprensa local como o russo Vladimir Umanets, de 26 anos, o vândalo foi detido na cidade de Worthing, no sul da Inglaterra, por policiais do condado de Sussex.

Siga o iG Cultura no Twitter

Testemunhas viram o homem se aproximar da tela "Black on Maroon", de 1958, de Rothko, e escrever com tinta preta no canto direito inferior "Vladimir Umanets '12, uma peça potencial do Yellowism", uma referência ao movimento Yellowism, do qual Umanets, um estudante de arte, afirma ser um dos fundadores.

" Foi uma declaração artística , mas se tratou mais de ter a oportunidade de falar sobre galerias e arte", declarou Umanets à imprensa. "Acredito que se alguém restaurar a tela (de Rothko) e remover minha assinatura, o valor da obra vai baixar, mas depois de alguns vai aumentar justamente por conta do que eu fiz."

Leia também: Homem que danificou quadro de Rothko não se considera "vândalo"

Segundo ele, o Yellowism "não é arte e nem está contra a arte, trata-se de um elemento da cultura contemporânea visual". "Eu não destruí o quadro. Não roubei nada. Houve muitas coisas assim antes. Marcel Duchamp assinou coisas que não foram feitas por ele, ou até Damien Hirst."

O russo nega que sua ação seja mero vandalismo. "Não quero ser considerado um vândalo ou alguém que quer destruir algo, especialmente uma pintura tão valiosa. Trata-se mais de mudar a percepção das coisas, dos espectadores. Trata-se mais de uma ideia."

Leia também:  Antonio Fagundes emociona intepretando Mark Rothko em "Vermelho"

De origem russa, Mark Rothko (1903-1970) emigrou para os Estados Unidos quando tinha 10 anos e se transformou em um dos artistas mais importantes do expressionismo abstrato. Atualmente, as obras de Rothko custam milhões no mercado de arte.

    Leia tudo sobre: mark rothkoartevandalismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG