Prévia da produção, que estreia em março de 2013, contou com as presenças do músico e da diretora Julie Taymor

Cinco meses antes da estreia no Brasil, uma prévia do musical "O Rei Leão" foi apresentada nesta terça (dia 2) em São Paulo. O presidente da Disney Theatrical Group, Thomas Schumacher, contou detalhes da história do espetáculo baseado no filme de mesmo nome.

"Por 22 anos trabalho com 'O Rei Leão'. Inicialmente no filme e desde 1997 no musical. A primeira versão da história, que tinha apenas quatro páginas e chamava-se 'The King of the Beasts' (O rei das feras, em português), retrata a luta de leões contra babuínos e não contava com nenhuma música", contou Schumacher.

De acordo com Schumacher, foi a insistência dos executivos da Disney, após o sucesso do musical "A Bela e a Fera", que trouxe a diretora Julie Taymor para realizar uma "adaptação impossível" da animação para o palco.

O vilão Scar no musical
Divulgação
O vilão Scar no musical "O Rei Leão"

Siga o iG Cultura no Twitter

O desafio, segundo a diretora, era transpor personagens que não eram humanos sem utilizar pessoas fantasiadas. "Você tem o humano e o animal ao mesmo tempo. Quando estão eretos, eles são mais humanos. Mas quando se debruçam, assumem uma postura mais animal."

Diferentemente do que é feito normalmente na utilização de alegorias, em 'O Rei Leão' a diretora não quis esconder os atores, mas sim aproveitá-los junto a máscaras e outros apetrechos. "A máscara é a essência do personagem. No vilão Scar, a falta de simetria de sua máscara é acompanhada pela postura do ator, auxiliando-o a encontrar o personagem."

Para simular sequências marcantes da animação, como a debandada dos gnus, Taymor buscou técnicas antigas de teatro, para impactar a audiência com o uso de profundidade e movimento. "Não queríamos utilizar projeções na tela, um recurso tão comum ultimamente."

Além do desafio estético, a produção do musical conta com mudanças no roteiro - a mais marcante é, talvez, referente ao babuíno Rafiki. "Achei que não havia uma personagem feminina forte na história e, após consultar uma amiga da África do Sul, que me garantiu que os melhores curandeiros são mulheres, mudei o sexo de Rafiki."

Leia também: "A Família Addams" é programa para não perder

Além disso, "O Rei Leão" musical tem o acréscimo de canções, além das cinco difundidas pelo filme, como "Hakuna Matata". Para trabalhar nas, versões a Disney chamou o músico Gilberto Gil, que admitiu receio ao receber o convite. "Fiquei reticente no início, mas minha família, principalmente os netos e minha mulher, que são fãs do filme, me empolgaram."

Questionado sobre a nova versão das canções já traduzidas no filme, caso de "Can’t You Feel the Love Tonight", que na animação dublada em português chama-se "Esta Noite o Amor Chegou" e no musical virou "Deve Haver o Amor Aqui", Gil disse "achar bom ter duas versões da mesma música".

Musical "O Rei Leão"
Estreia: março de 2013
Local: Teatro Abril (av. Brigadeiro Luis Antônio, 411, São Paulo)
Sessões: Quartas, quintas e sextas, às 21h; Sábados às 16h30 e 21h; Domingos às 15h30 e 20h
Ingressos: De R$ 50 a R$ 280
Vendas: pelo telefone 4003-5588, pelo site www.ticketsforfun.com.br e nos pontos de venda

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.