Neste final de semana, exposição ficará aberta ininterruptamente até as 23h deste sábado

Fila para a Virada Impressionista na madrugada de sábado (8)
Marcelle Souza
Fila para a Virada Impressionista na madrugada de sábado (8)

A segunda edição da Virada Impressionista no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) de São Paulo causou filas na madrugada deste sábado (8). A mostra “Impressionismo: Paris e a Modernidade” reúne obras de importantes pintores impressionistas que viveram entre a segunda metade do século 19 e o início do século 20.

Durante a Virada, que começou às 8h de sexta (7), a exposição permanece aberta até as 23h deste sábado. A entrada é gratuita. O primeiro evento foi realizado nos dias 4 e 5 de agosto e recebeu aproximadamente 16 mil pessoas.

Quem chegou ao CCBB por volta da 1h30 deste sábado teve de esperar pouco mais de uma hora para ver os quadros de pintores como Van Gogh, Claude Monet e August Renoir. A demora, porém, foi bem menor do que nos horários mais disputados pelo público, durante o dia, quando a espera chegou a mais de quatro horas, segundo funcionários do centro cultural.

INFOGRÁFICO: entenda o quadro "O Tocador de Pífano", obra-prima de Manet

“Tentei vir no último domingo, mas desisti por causa do tamanho da fila”, afirma o bancário Gabriel Delano, 35, que aproveitou a Virada Impressionista para ver a mostra com menos tumulto.

E até quem não teve que aguardar muito tempo para entrar na mostra preferiu ir de madrugada para aproveitar melhor a exposição. “Eu curto muito fazer programas culturais nessa hora. Adoro a Virada Cultural e, quando soube que teria a Virada Impressionista, não tive dúvidas de que seria um ótimo programa”, diz Sonia Moura e Souza, 64, dona de uma agência de viagens. Ela, o marido e um casal de amigos entraram sem espera porque todos tinham mais de 60 anos.

Siga o iG Cultura no Twitter

Público na fila para a Virada Impressionista, em São Paulo
Marcelle Souza
Público na fila para a Virada Impressionista, em São Paulo

Para espantar o sono, um DJ selecionava as músicas do lado de fora do CCBB. Enquanto isso, quem saía da exposição garantia que a espera vale a pena. “Um dos quadros que mais me chamou a atenção foi ‘Moças ao Piano’, de Renoir. A exposição é linda e o prédio do CCBB também, mas acho que a iluminação das obras não era a mais adequada”, afirma a advogada Cecília Ferreira, 66.

Em família

O casal de engenheiros Luiz Alberto Barberini, 47, e Marcia Rubian Barberini, 46, esticou a programação em família para levar os filhos de 12, 14 e 17 anos para ver a exposição depois de uma sessão de cinema. “Eles estudam esses pintores na escola, então aproveitamos o feriado para ver as obras de perto”, diz Marcia.

Para eles, que moram em Santo André, na Grande São Paulo, apesar do pouco movimento no centro de SP, as bases da PM e a iluminação ajudaram a deixar o acesso ao CCBB seguro mesmo de madrugada. “Achei bem tranquilo”, destaca Luiz.

Leia também: Obras-primas de Monet, Van Gogh e outros impressionistas no Brasil

A terceira Virada Impressionista está programada para acontecer nos dias 5 e 6 de outubro.

A exposição poderá ser vista até o dia 7 de outubro, de terça a quinta das 10h às 22h, sexta das 10h às 23h, e sábado e domingo das 8h às 23h.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.