Restauradora de Borja: "Quero terminar o meu trabalho"

Em entrevista a um programa de TV da Espanha, Cecilia Jiménez disse que obra de restauro não estava pronta

iG São Paulo | - Atualizada às

A aposentada espanhola Cecilia Giménez, de 81 anos, que ficou famosa no mundo inteiro após o desastrado restauro do "Cristo de Borja", afirmou que tem vontade de "terminar o trabalho".

VEJA NA GALERIA ABAIXO MONTAGENS COM O RESTAURO DO "CRISTO DE BORJA"

Em entrevista ao programa de TV "Sin Ir Más Lejos", ela revelou que ainda não havia terminado de restaurar a pintura. "Eu tinha deixado tudo preparado para continuar o meu trabalho depois. Mas agora não posso continuar por causa de toda essa confusão", afirmou.

Cecilia garantiu que, se for permitido, ela pretende terminar o seu trabalho. "Não quero deixar como está, porque quando vejo eu sofro", disse. Ela afirmou, no entanto, que não se incomoda se outros restauradores trabalharem na pintura. "O importante é que ela fique bonita."

Na entrevista, ela ainda contou que costumava trabalhar na igreja de Borja, no nordeste da Espanha, e que inclusive já havia restaurado outras pinturas no local. "Todos sabiam o que eu estava fazendo e ninguém se incomodou. Pensei que estava fazendo mais um favor, como sempre fiz."

Veja aqui a entrevista na íntegra, em espanhol .

A pintura original foi feita por Elías García Martínez no século 19 e leva o nome de "Ecce Homo", nome tradicionalmente dado às pinturas de Jesus com a coroa de espinhos, antes da crucifixação. O restauro feito por Cecília ganhou o apelido de "Ecce Mono" (em espanhol, "mono" significa "macaco").

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG