Danny Boyle é aclamado por show deslumbrante na abertura dos Jogos

Diretor de "Quem Quer Ser Um Milionário?" surpreende britânicos com apresentação

Reuters |

Reuters

Danny Boyle surpreendeu o mundo com sua espetacular cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos . O festejado cineasta de Hollywood conquistou seu próprio país e garantiu seu lugar na elite cultural do mesmo com uma abordagem despretensiosa da vida.

Boyle, 55 anos, foi inicialmente considerado uma escolha estranha para planejar a cerimônia que iria mostrar a Grã-Bretanha para o mundo e definir o tom para os Jogos de 2012.

Afinal, ele foi lançado para a fama com o filme "Trainspotting - Sem Limites", de 1996, em que retrata dependentes de heroína da classe trabalhadora de Edimburgo. O longa foi marcado por um inesquecível mergulho do ator Ewan McGregor em uma privada imunda para recuperar drogas.

Abertura emociona com McCartney e surpreende no acendimento da chama

AP
Danny Boyle: cineasta responsável pela organização da cerimônia de abertura conversa com público no estádio

O sucesso chegou com o drama de "ascensão social" "Quem Quer Ser um Milionário", que ganhou o Oscar em 2008. Nele o cineasta também retratava a dura realidade da vida, com imagens gráficas de crianças de rua indianas envolvidas em uma história otimista sobre um azarão que vence as adversidades.

Siga o iG Cultura no Twitter

Mas os organizadores da Olimpíada insistiram que a experiência, energia e paixão de Boyle pela Inglaterra e sua visão incomum fizeram dele o homem perfeito para o trabalho. Eles provaram que estavam certos.

A extravagância de £ 27 milhões (R$ 85 milhões) do diretor foi aclamada internacionalmente por destacar a essência da Grã-Bretanha ao misturar história, cultura e humor em um show tecnicamente deslumbrante.

Seria difícil acompanhar a estonteante cerimônia de abertura de Pequim, há quatro anos, mas Boyle conseguiu.

Leia também: Rainha Elizabeth II "salta" de paraquedas para a festa de abertura

AP
Rainha Elizabeth II é aplaudida pelo público no Estádio Olímpico

Como em seus filmes, ele apostou em uma trilha sonora frenética, cheia de energia e compulsiva durante a cerimônia de abertura, usando o humor auto-depreciativo para destacar a estranheza da Grã-Bretanha, com nuvens falsas, enfermeiros dançarinos e pombas de néon em motos.

Mas seu golpe da noite foi elencar a rainha Elizabeth em um filme com o ator Daniel Craig, que interpreta James Bond, com esta ligação à realeza consolidando a posição do cineasta independente, que não se alterou com o glamour de Hollywood, nos altos escalões da cultura popular britânica.

Ele disse que, nas Olimpíadas, queria retribuir à Grã-Bretanha e Londres, e incluiu operários, sindicatos e funcionários do hospital no show por serem tão importantes para o país.

Veja também: Top 10: as Olimpíadas no cinema

"Este país e esta cidade me deram tudo o que tenho na minha vida, além de minha formação que estava em Manchester e os valores que eu tenho de lá", disse ele a jornalistas. "Em termos das oportunidades que tive na minha vida, esta cidade, na qual sou muito orgulhoso de viver, me deu tudo."

Agora, a obra prima da Olimpíada garantiu a Boyle aplausos de toda a Grã-Bretanha - e uma onda de apostas de que será nomeado cavaleiro pela rainha na Lista de Honras do Ano Novo.

    Leia tudo sobre: Danny BoyleOlimpíadasmúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG