Começa nesta terça o File, festival que une arte e tecnologia

Evento, que este ano chega a sua 13ª edição, terá obras interativas, filmes e shows

Agência Estado |

Agência Estado

Divulgação
Starry Night, obra de Petros Vrellis

Com a tecnologia servindo de ponte, arte e entretenimento se conectam, entre esta terça (17) e 19 de agosto, no Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File), realizado pelo Sesi São Paulo.

Em sua 13ª edição, o encontro de arte digital vai tomar o Centro Cultural Fiesp - Ruth Cardoso, na Avenida Paulista, além do Museu da Imagem e do Som (MIS) e das estações do metrô Trianon-Masp e Consolação, também na Paulista. Um reflexo das inovações de nosso tempo, a interatividade será peça fundamental dessa engrenagem.

"As pessoas têm uma certa dificuldade, às vezes, de entender o File porque elas têm aquela visão analógica de exposição, onde tem lá aquelas coisas físicas e elas admiram aquilo - como são as exposições de artes plásticas. Aqui não", comenta Ricardo Barreto, um dos organizadores do evento. "Entretenimento e arte estão muito próximos, lembram o comportamento dos games e de vários outros que se interconectam."

Exemplo dessa interação entre público e obra é o trabalho "Starry Night", animação interativa do artista grego Petros Vrellis que se inspira na famosa tela "Noite Estrelada", do pintor holandês Vincent Van Gogh (1853-1890). O visitante pode tocar na imagem e alterar a pintura. "Starry Night" integra uma das programações especiais do File, a Anima+, que traz curtas e longas-metragens, experimentais e de grandes estúdios. Um dos indicados ao Oscar deste ano da categoria, "Um Gato em Paris", produção francesa dirigida por Alain Gagnol e Jean-Loup Felicioli, é outra atração.

Os filmes do Anima+, selecionados em nove importantes festivais internacionais de animação, como o Red Stick International Animation Festival (EUA) e o Japan Media Arts (Japão), estão em exibição no Espaço Fiesp, no MIS e nas estações do metrô.

Outro destaque entre os eventos que se aninharam ao File é o Hipersônica, que reúne, no Teatro do Sesi, performances de artistas que utilizam ferramentas digitais para produzir suas criações musicais. Terça (17), às 20h, o chinês GayBird, como é conhecido o músico Leung Kei-chuek, apresenta o Digital Hug (abraço digital), seu experimento sonoro/visual, em que toca instrumentos criados por ele mesmo, enquanto imagens são exibidas em um telão.

File 2012

Centro Cultural Fiesp - Ruth Cardoso
Avenida Paulista, 1.313, São Paulo
Telefone: 11 3146-7405

Museu da Imagem e do Som
Avenida Europa, 158, São Paulo
Telefone: 11 2117-4777

De 17/7 a 19/8
Entrada gratuita
Programação no site: www.sesisp.org.br/cultura

    Leia tudo sobre: FileArtes plásticasArte eletrônica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG