Feira de arte reunirá 120 galerias, metade delas internacional, no Rio de Janeiro em setembro

Brenda Valansi, uma das idealizadoras da ArtRio
Divulgação
Brenda Valansi, uma das idealizadoras da ArtRio
Em setembro do ano passado, uma novidade agitou o mercado de artes brasileiro, que até então tinha na SP-Arte sua única feira relevante: a ArtRio, com suas 83 galerias, nacionais e de fora, 46 mil visitantes e R$ 120 milhões em vendas, alavancadas pela isenção de ICMS sobre as obras.

São credenciais que facilitaram a vida dos organizadores este ano. "Desta vez não tive que correr atrás das galerias, elas já tinham ouvido falar da feira. Teve muito boca a boca, não só no Brasil, mas também entre os galeristas internacionais. Existia uma demanda reprimida no Rio", diz Brenda Valansi, uma das quatro sócias da ArtRio.

Neste setembro tudo será maior: 120 galerias, a metade vinda de outros países, 2.350 metros quadrados a mais na área usada no Píer Mauá e expectativa de receber 60 mil visitantes. Espera-se que os negócios cheguem a R$ 150 milhões.

Durante a edição passada - que custou R$ 6 milhões, investimento que cresceu para R$ 9 milhões (entre os patrocinadores estão o Bradesco e o Ministério da Cultura) -, os participantes já confirmaram presença para 2012.

As escolhas passam por um conselho curatorial formado pelos galeristas Juliana Cintra (RJ), Eduardo Brandão, Alberto Magnan e Mathew Wood (SP), que avaliam o portfólio de artistas e a atuação da galeria no mercado. As estrangeiras saem das feiras visitadas pelo mundo.

A presença internacional dobrou, assim como a das galerias vindas de São Paulo. Ainda que o metro quadrado na feira também tenha quase dobrado de preço (de US$ 500 para US$ 935, ou R$ 1.870), os galeristas demandaram mais espaço para expor suas obras.

A organização, por sua vez, quis aumentar a oferta de bares e restaurantes, para que os frequentadores estendam a permanência no Píer - o anexo do galpão quatro será uma grande área de convivência, com pocket shows.

Os números da ArtRio superaram rapidamente os da SP-Arte, que dia 13 encerrou sua oitava edição (e que também conseguiu a isenção de ICMS este ano). A feira contou com 110 galerias, sendo mais focada nas nacionais (83 do total), e com público de 20 mil pessoas. Não se divulgou balanço de vendas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.