Confundidas com suicidas, figuras humanas ocupam alto de prédios em São Paulo

Esculturas fazem parte de obra de Anthony Gormley, que também ganha mostra no CCBB

Augusto Gomes, iG São Paulo |

AE
Obras de Antony Gormley no Vale do Anhangabaú
Há algo de diferente no centro de São Paulo. No alto de alguns prédios, é possível ver figuras humanas olhando para baixo, imóveis. Suicidas em dúvida? Alienígenas à espreita? Uma nova força de segurança? Nada disso. É tudo obra do escultor britânico Antony Gormley.

No início da semana, o artista plástico começou a povoar os edifícios ao redor do Vale do Anhangabaú de esculturas de fibra de vidro. Até esta quinta-feira (10), 16 delas já estavam posicionadas. Outras 11 devem ser colocadas nas alturas até o sábado (12).

Elas fazem parte da obra "Event Horizon" ("Horizonte de Eventos"), já apresentada em Londres em 2007 e em Nova York em 2010, e que também inclui mais quatro figuras humanas de metal, que ficarão expostas no nível do chão. É uma das três mostras de Gormley que São Paulo recebe a partir deste sábado.

"Quanto menos as pessoas souberem, melhor. Prefiro não explicar as minhas obras. São só uns caras de metal, afinal", brinca o escultor. Em vez de falar sobre as suas criações, ele prefere observar como o público reage a elas. "Quero ver como elas provocam as pessoas aqui no Brasil", diz.

Gormley conta que, quando colocou os "caras de metal" em cima de edifícios em Nova York, nos Estados Unidos, as pessoas ficaram assustadas. "Pensaram que eram suicidas. Numa sociedade paranóica como a americana, era de se esperar uma reação assim."

No Brasil, ele ainda não sabe como serão as reações. "Mas creio que São Paulo é uma cidade tão caótica que é provável que as pessoas nem percebam as esculturas lá no alto. Aqui, coisas estranhas fazem parte da normalidade."

Obra completa

Apesar de mais da metade das esculturas de "Event Horizon" já estar posicionada, até a tarde desta quinta (10) Gormley ainda não sabia se a obra seria mantida ou não. O motivo: ele ainda não tinha certeza se teria autorização para colocar as esculturas restantes em seus respectivos locais.

"Não faz sentido expor a obra se ela não estiver completa. É como mostrar a escultura de uma pessoa e ela não tiver uma perna", comparou. Se não conseguisse a licença para os demais trabalhos até o final da tarde de quinta, Gormley garantiu que iria retirar as 16 obras já posicionadas.

Augusto Gomes/iG
Antony Gormley em meio a suas obras no Centro Cultural Banco do Brasil

As autorizações restantes vieram ainda na quinta-feira. Ao receber a notícia do curador Marcello Dantas, Gormley ficou aliviado. "Faz parte do processo. Em Londres também foi muito difícil. Já em Nova York foi fácil. Depois que o Empire State aceitou receber uma escultura, todos os prédios também quiseram uma".

Gormley no CCBB

Além dos prédios no Anhangabaú, as obras de Gormley ocuparão ainda o Centro Cultural Banco do Brasil, também no centro da cidade, e uma filial temporária da galeria britânica White Cube nas proximidades do parque Ibirapuera.

A rotunda do CCBB receberá a obra "Critical Mass" ("Massa Crítica"), um conjunto de 60 figuras humanas em tamanho real, cada uma pesando 630 quilos. Elas ficarão tanto suspensas no ar quanto amontoadas no chão.

"Minha ideia foi trazer um pouco de desordem para este espaço. O CCBB antigamente era um banco, um lugar de ordem. Minha ideia por desestabilizá-lo", diz.

Além das figuras de "Critical Mess", a mostra inclui obras como "Loss" ("Perda"). Feita especialmente para esta exposição no Brasil, ela é mais uma figura humana, só que feita de diversos cubos de aço.

Siga o iG Cultura no Twitter

Já a filial da White Cube trará a mostra "Fatos e Sistemas - Facts and Systems", composta de novos trabalhos do escultor.

Depois de passarem por São Paulo, as obras de Gormley vão para o Rio de Janeiro e Brasília. A capital federal, no entanto, não terá os "caras de metal" no alto dos prédios. "Brasília já é uma escultura. Não precisa de outras para atrapalhar", ri Gormley.

Anthony Gormley no Brasil

"Corpos Presentes - Still Beings"
Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Álvares Penteado, 112, Centro
De 12 de maio a 15 de julho
Terça a domingo, das 9h às 21h
Entrada gratuita

"Fatos e Sistemas - Facts and Systems"
Galeria White Cube
Rua Agostinho Rodrigues Filho, 550, Saúde
De 9 de maio a 15 de julho
Terça a sábado, das 11h às 19h
Entrada gratuita

    Leia tudo sobre: Antony GormleyCCBBartes plásticas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG