Pintura de Mark Rothko é vendida por R$ 168 milhões em leilão

"Orange, Red, Yellow" se tornou a obra de arte contemporânea mais cara do mundo

AFP |

Stan Honda/AFP
"Orange, Red, Yellow", na prévia do leilão da Christie's
Uma pintura de Mark Rothko se converteu nesta terça-feira na obra de arte contemporânea mais cara do planeta ao ser arrematada por 86,9 milhões de dólares (aproximadamente R$ 168 milhões) em um leilão da casa Christie's em Nova York.

Siga o iG Cultura no Twitter

"Orange, Red, Yellow" superou o recorde do próprio artista russo-americano - de R$ 141 milhões -, em uma jornada que totalizou 388,5 milhões de dólares (R$ 750 milhões) em vendas, o maior valor já atingido em um leilão de arte contemporânea desde 2007, destacou a Christie's.

Entre as obras leiloadas nesta terça-feira está "FC1", de Yves Klein, que representa os contornos de dois personagens nus através de uma técnica que utiliza pintura, água e fogo. O trabalho obteve R$ 71 milhões milhões, abaixo da estimativa de 77 milhões.

Leia também: "O Grito", de Edvard Munch, bate recorde em leilão

O último preço recorde para um Klein era de 23,6 milhões de dólares (46 milhões de reais).

"Abstraktes Bild", de Gerhard Richter, foi a obra mais disputada no leilão, e superou facilmente a estimativa de 18 milhões de dólares (R$ 35.000.000) para ser arrematada por 21,8 milhões (R$ 42.000.000).

    Leia tudo sobre: leilãochristie'smark rothko

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG