Domingo começa com rock de White Denim e Suicidal Tendencies na Virada

Bandas americanas tocaram durante a manhã na avenida São João

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Mal havia passado das sete horas da manhã quando a banda texana White Denim iniciou sua apresentação na Virada Cultural, no palco montado na avenida São João. Quando o grupo subiu ao palco, boa parte do público ainda estava sentada (ou mesmo deitada) no chão.

Imagens: Veja cenas da Virada Cultural 2012

Augusto Gomes/iG São Paulo
James Petralli, vocalista do White Denim

Muitos, a princípio, nem se animaram a levantar, já que a banda é pouco conhecida no Brasil. Outros gritaram 'Suicidal Tendencies', em referência ao grupo que tocaria no mesmo palco dali a pouco mais de duas horas.

Diante dessa plateia dividindo-se entre indiferentes e hostis, o White Denim tomou a atitude correta: tocou alto e rápido, emendou uma música na outra sem pausas e não dirigiu nenhuma palavra ao público.

Show da Virada: Gretchen arranca gritos de 'gostosa'

Augusto Gomes/iG
Austin Jenkins e Steven Terebecki, do White Denim

A primeira pausa só veio depois de meia hora de apresentação, e nessa altura a banda já havia conquistado, pelo menos, a simpatia da maior parte do público. Foi quando o vocalista James Petralli falou com a plateia pela primeira: 'hi, obrigado' e só.

O som do quarteto mistura várias influências, mas pode ser definido de uma maneira simples: rock progressivo. São músicas complexas, sempre muito bem tocadas e com longos solos de guitarra, que lembra bastante algumas fases do King Crimson.

Após uma hora de show, o White Denim saiu do palco aplaudido. Pelos sorrisos nos rostos dos quatro integrantes, eles estavam com a sensação de dever cumprido por terem conquistado a plateia.

AE
Show da banda americana Suicidal Tendencies
A atração seguinte, Suicidal Tendencies, não teve o trabalho de conquistar ninguém. Era só olhar para as camisetas do público para perceber que não faltavam fãs na banda no local. E o grupo não decepcionou.

Leia mais: Música clássica e dança atraem público na Virada Cultural

O grupo teve seu auge no final dos anos 1980 e início dos anos 1990, como parte do movimento que misturava metal e hip hop na Califórnia. De lá para cá, teve uma trajetória errática: separou-se duas vezes e não lança material inédito há mais de dez anos.

Mas, no show, nada disso foi problema: ao tocar músicas como "You Can't Bring Me Down" e "Send Me Your Money", Mike Muir e companhia colocaram a São João inteira para pular.

O público se animou tanto que, ainda no início do show, começou a invadir a área em frente ao palco, destinada a fotógrafos e convidados, para desespero dos seguranças.

Em poucos minutos, já havia fãs sendo levados pelos braços e por cima das cabeças da multidão até a boca do palco. Até o momento, foi a plateia mais animada de toda a Virada Cultural.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG