Tribunal belga julgará em setembro suposto racismo em "Tintim"

Autor do processo alega que o conteúdo do livro mostra uma visão preconceituosa e colonialista dos negros

BBC Brasil |

Reprodução
Capa do livro "Tintim no Congo"
Um tribunal da Bélgica marcou para 30 de setembro o início do julgamento da ação que pretende retirar das prateleiras de livros infantis uma das obras do personagem de histórias em quadrinhos Tintim, do cartunista belga Hergé. A ação diz respeito ao livro "Tintim no Congo" (intitulado "Tintim na África" no Brasil), publicado originalmente entre 1930 e 1931 na Bélgica. O autor do processo, o cidadão congolês Bienvenu Mbutu Mondondo, alega que o conteúdo do livro mostra uma visão preconceituosa e colonialista dos negros e dos povos africanos.

"Tintin no Congo" é o segundo livro da série "As Aventuras de Tintim". Na obra, o personagem viaja ao território da atual República Democrática do Congo, onde se envolve em aventuras com nativos, animais selvagens e gangues de criminosos. Na época da publicação do livro, o país era colônia da Bélgica. A independência ocorreu em 1960, quando o novo país adotou o nome de Zaire. Além de colocar o livro nas seções de obras adultas nas livrarias, os autores da ação pretendem que a capa da obra tenha um aviso de que seu conteúdo é racista e que um prefácio contextualize historicamente a trama.

Mondondo entrou com a ação juntamente com o Conselho Representativo de Associações Negras (Cran). Acredita-se que os advogados de defesa da empresa Moulinsart, que detém os direitos de Tintim, e da editora Casterman, que publica a obra, irão alegar o direito à liberdade de expressão como principal argumento para manter a obra como está.

Modificações

Hergé tinha 23 anos quando "Tintim no Congo" foi publicado. O autor, que morreu em 1983, afirmou, anos depois da publicação do livro, que se deixou levar pelos "preconceitos da sociedade burguesa" e que o espírito da trama era condizente com a visão "paternalista" que o ocidente tinha em relação aos países africanos à época.

Nos anos 1970, "Tintim no Congo" ganhou uma reedição, na qual Hergé fez modificações na história. Em uma delas, o autor transformou um trecho em que Tintim dá uma aula de história a estudantes africanos, ensinando que o país dos alunos era a Bélgica. Na nova edição, Hergé transformou o cenário em uma aula de matemática.

"As Aventuras de Tintim" é uma das séries de histórias em quadrinhos mais vendidas e traduzidas no mundo. Uma adaptação em 3D de Tintim para o cinema foi dirigida pelo cineasta americano Steven Spielberg, com lançamento previsto para este ano.

    Leia tudo sobre: Tintim

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG