Coreia do Sul reforça segurança, após afundamento de navio em março

Seul, 9 mai (EFE).- A Coreia do Sul colocou hoje em andamento um novo organismo, sob supervisão do presidente Lee Myung-bak, que se encarregará de revisar e reforçar o sistema de segurança nacional, perante os erros evidenciados pelo recente afundamento de um de seus navios.

EFE |

Seul, 9 mai (EFE).- A Coreia do Sul colocou hoje em andamento um novo organismo, sob supervisão do presidente Lee Myung-bak, que se encarregará de revisar e reforçar o sistema de segurança nacional, perante os erros evidenciados pelo recente afundamento de um de seus navios. Segundo informou a agência local "Yonhap", esse novo organismo terá 15 membros - deles dez militares - e será dirigido por Lee Sang-woo, um ex-professor que atualmente preside o comitê de reforma de Defesa. Esse grupo se encarregará de supervisionar as ameaças externas, revisar a Defesa e os serviços de inteligência do país, e propor reformas para melhorar a segurança. Além disso, a Casa Presidencial anunciou que um general reformado, Lee Hee-won, será o novo assessor de segurança nacional do líder sul-coreano, com categoria de ministro. Até agora, a Coreia do Sul evitou acusar diretamente seu vizinho do Norte pelo afundamento da embarcação, à espera do resultado final das investigações, que são esperadas para o final deste mês. EFE ce-psh/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG