Policiais brigam com manifestantes e imprensa na Cop-16

Fotógrafo da agência de notícias Reuters é detido após confusão

Maria Fernanda Ziegler, enviada a Cancún |

AFP
Jovens se reúnem para protesto contra o aquecimento global no último dia da Cop-16
Houve uma quebra de protocolo no último dia da Conferência do Clima, em Cancún. Marcada pela falta de manifestação, a Cop-16 teve seu momento de confusão que envolveu guardas, a ONG 350.org e a imprensa.

O tumulto começou quando policiais retiraram os manifestantes que se colocaram na frente do prédio do hotel Moon Palace, onde acontecia a plenária da Conferência. O grupo de jovens contava em voz alta até 21 mil - número de mortos em desastres climáticos nos primeiros noves meses deste ano, de acordo com estudo da organização humanitária Oxfam.

Os policiais empurraram mais de 10 jovens para dentro de um ônibus, enquanto parte do grupo gritava “vergonha de você”. Muitos integrantes da ong choraram. Houve início de briga. Depois de despachados os manifestantes, foi a vez do tumulto com a imprensa. Policiais retiraram um fotógrafo da Reuters, que registrava a confusão, e o levaram para outro ônibus.

AFP
Fotógrafo Jorge Silva, da agência Reuters, é detido por policiais em frente ao hotel onde acontece a Cop-16
Houve mais briga. O fotógrafo apanhou de policiais dentro do ônibus. As pessoas que acompanhava a briga começaram a gritar ”liberem-lo” e a se colocaram na frente do veículo. Guardas tentavam tapar a janela do ônibus com a ajuda de cartazes da manifestação.

    Leia tudo sobre: aquecimento globalcopcancun

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG