Japão buscará na Conferência Climática um acordo global e vinculativo

País causou polêmica ao anunciar sua negativa à prorrogação do Protocolo de Kyoto

EFE |

O Governo do Japão anunciou no sábado (4) que buscará na 16ª Conferência da ONU sobre Mudança Climática (COP-16) um acordo "global e vinculativo" que comprometa os que mais poluem na luta contra a mudança climática.

Acompanhe a cobertura completa da Conferência Climática da ONU em Cancún

"Fizemos bons progressos esta semana e queremos ver mais passos em nossos esforços para estabelecer um novo marco efetivo para combater a mudança climática", explicou em entrevista coletiva Mitsuo Sakaba, embaixador na ONU em assuntos de mudança climática. "A posição japonesa é buscar um marco mais global com a participação dos grandes emissores (China e Estados Unidos) de forma vinculativa após 2012. É o último objetivo de nosso Governo", acrescentou o funcionário.

Há seis dias o Japão tornou público perante os demais participantes uma velha posição, sua negativa a aderir a uma possível segunda fase do Protocolo de Kioto, atitude que não mudou e que gera mal-estar entre muitos países em desenvolvimento.

Estes últimos consideram que sem uma segunda fase do único tratado internacional vinculativo para reduzir emissões de gases causadoras do efeito estufa não é possível chegar a um resultado equilibrado em Cancún.

O Japão rejeitou que a conferência climática esteja em ponto morto, prova do qual é um texto de trabalho apresentado pela presidente do grupo de trabalho de Ação Cooperativa a Longo Prazo, Margaret Mukahanana, sobre o qual já há bastante receio e que não tem status de texto de trabalho.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG