Gases do efeito estufa alcançam nível recorde, diz ONU

Aquecimento causado pelos gases de efeito estufa aumentou 1,4% de 2009 a 2010

Reuters |

Os gases de efeito estufa que causam as mudanças climáticas chegaram a níveis recordes na atmosfera e não mostram nenhum sinal de recuo, apesar da consciência global da necessidade de mudar para fontes alternativas de energia, alertou a agência meteorológica das Nações Unidas nesta segunda-feira.

Em seu Boletim sobre os Gases de Efeito Estufa, de periodicidade anual, a Organização Meteorológica Mundial informou que dióxido de carbono, metano e óxido nitroso estavam agora mais predominantes na atmosfera do que em qualquer outro momento desde a Revolução Industrial.

O efeito de aquecimento causado pelos gases de efeito estufa -- o montante líquido de radiação entrando na atmosfera -- aumentou em 29 por cento desde 1990 e em 1,4 por cento de 2009 a 2010, último ano para o qual há dados disponíveis, disse a agência.

Na semana passada, cientistas da ONU afirmaram que o século atual ainda terá ondas de calor mais intensas, secas, inundações e tempestades por causa do aquecimento global .

O relatório da agência mede a quantidade total de gases de efeito estufa na atmosfera, com base em estações de monitoração em mais de 50 países. Foram consideradas as emissões e processos de absorção naturais -- chamados "fontes e sumidouros" -- bem como as emissões causadas pela atividade humana.

O dióxido de carbono, responsável por 80 por cento do efeito do aquecimento global ao longo das últimas duas décadas, tem aumentado rapidamente com o uso de combustíveis fósseis. Mas quase a metade do dióxido de carbono provocado pelo uso de combustíveis fósseis desde 1958 foi removida pelos oceanos e plantas em solo, disse o relatório.

Saiba mais:
Cientistas confirmam que aquecimento global intensifica enchentes
Países pequenos pedem ação climática imediata
Sudeste Asiático está em perigo pelos efeitos da mudança climática

O segundo mais importante gás de efeito estufa, o metano, vem aumentando nos últimos cinco anos após ter ficado estabilizado entre 2000 e 2006, por razões que não são totalmente compreendidas.

O terceiro maior gás de efeito estufa é o óxido nitroso, que pode reter quase 300 vezes mais calor que o dióxido de carbono. Sua principal fonte humana é o uso de fertilizantes baseados em nitrogênio, que, segundo o relatório, "afetaram profundamente o ciclo mundial do nitrogênio".

O impacto do uso de fertilizantes é tão marcante que mais óxido nitroso é detectado no hemisfério norte, onde é maior o uso de fertilizantes.

O relatório da semana passada dos cientistas da ONU insistiu que os países elaborem planos de gestão de desastres por causa da ameaça do aquecimento global.

No entanto, os dados da agência de meteorologia não mostraram nenhuma pausa no aumento dos gases de efeito estufa, e os autores do relatório disseram que é preciso fazer mais pesquisas para ajudar a entender quais políticas teriam mais efeito.

Até agora, o impacto discernível mais claro de uma decisão política foi a diminuição nos clorofluorcarbonetos, ou CFCs, que foram banidos porque causaram destruição da camada de ozônio.

Mas os HFCs, os químicos que substituíram os CFCs, também são gases de efeito estufa e sua abundância na atmosfera, embora ainda pequena, está agora aumentando a um ritmo rápido.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG