Especular agora seria algo prematuro, diz União Europeia

Negociador defende abrandamento de posições para cúpula chegar a consenso

Maria Fernanda Ziegler, enviada especial a Cancún |

Para o negociador da Bélgica, Peter Wittoeck, especular agora sobre um fracasso de Cancún é prematuro. Para ele, ao invés de tentar prever resultados, países devem trabalhar para os próximos passos das negociações para o acordo do Clima.

“O maior desafio desta Conferência do Clima é atingir o equilíbrio, esta é a palavra de ordem aqui em Cancún. Se os países ficarem em posições extremas, não vamos conseguir entrar em um consenso”, disse. A União européia é responsável por 12% das emissões globais de gases causadores do efeito estufa e se comprometeu a reduzir 20% de suas emissões até 2020.

Hoje, os países da Alba (formado pelo Equador, Venezuela, Bolívia e Nicarágua) acusaram “um punhado de países” de estar impedindo as negociações da segunda fase do protocolo de Kyoto - único tratado vinculante para redução das emissões de carbono.

Na terça-feira, o Japão anunciou sua recusa à continuação de Kyoto. Hoje, a secretária-geral da Conferência do clima da ONU, Christiana Figueres, confirmou que Rússia e Canadá também não assinarão a segunda fase do protocolo. De acordo com a alga mais um país teria feito o mesmo.

Os países do bloco Alba afirmam que caso a continuação do protocolo não seja aceita, eles não vão assinar o pacote completo das negociações em Cancún. Com isto, as negociações ficam atravancadas, visto que se trata de um acordo multilateral.

"Se os países ficarem em posições extremas não conseguiremos entrar em um consenso", disse Wittoeck.

    Leia tudo sobre: aquecimento globalcopcancun

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG