Em resposta a Lula, México diz que Cúpula de Cancún dará passos concretos

Representante do governo mexicano diz que conferência trará avanços concretos, mesmo que não se deve esperar medidas drásticas

EFE |

O Governo do México, anfitrião da 16ª Conferência das Partes da ONU sobre Mudança Climática (COP-16), considerou nesta quarta-feira que a reunião realizada na cidade mexicana de Cancún "não resolverá todos os problemas" sobre a matéria, mas dará "passos substanciais e concretos" para solucionar o aquecimento global.

Foi assim que o responsável do governo mexicano para mudanças climáticas, o embaixador Luis Alfonso de Alba, respondeu às declarações feitas nesta quarta-feira em Brasília pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quem disse que a Cúpula de Cancún "acabará sem nada" .

Segundo Lula, quem anunciou nesta semana que não comparecerá à reunião de Cancún, o mundo não pode ter nenhuma expectativa para a COP-16. Perguntado sobre o assunto, o alto funcionário do governo mexicano respondeu que não se pode esperar medidas drásticas em Cancún, mas que o encontro faz parte de um longo processo. "É preciso entender que este é um processo que vai durar vários anos e que em Cancún se deve dar passos substanciais e concretos para garantir que o processo possa se desenvolver", declarou Alba.

O embaixador afirmou que, até o momento, não percebeu "nenhuma atitude que não seja de compromisso" para se avançar nas negociações sobre mudança climática. O negociador mexicano se mostrou convencido que de Cancún podem sair metas de redução de emissões que ultrapassarão uma média de 18% ou 19%, o que significaria cobrir 80% das emissões globais.

    Leia tudo sobre: aquecimento globalcopcancun

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG